18 C
Serra
sexta-feira, 29 de Maio de 2020

Sessão abortada

Leia também

Indústria cobra e Estado diz que está liberando crédito para empresas

Nesta quinta-feira (28) a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) divulgou carta aberta em que cobra o governo...

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Na última segunda-feira (05), os vereadores governistas se movimentaram para convocar uma sessão extraordinária. O objetivo era acelerar a apreciação de quatro vetos que estariam travando a pauta da Câmara da Serra e assim “desamarrar” o PL 159/2016, que trata do orçamento de 2017 e precisa votado ainda este ano.

Sessão abortada II
Porém, apesar da pressa do prefeito Audifax Barcelos (Rede), alguns vereadores aliados faltaram à sessão. Um deles foi um dos aliados de primeira hora do prefeito, o também redista Alexandre Xambinho. Com isso a sessão foi rejeitada por falta de maioria simples, ou seja, 12 vereadores. Ao todo, a sessão abortada durou só 4h e 30.

Cego em tiroteio
Na avaliação de muitas pessoas envolvidas na política da Serra, tanto alinhadas com Audifax quando alinhadas com a oposição, o prefeito reeleito escolheu mal os interlocutores para negociar em seu nome a eleição da mesa diretora. E, aparentemente, esses interlocutores não têm agido de forma coordenada, parecendo mais ‘cegos em tiroteio’. O prefeito precisa de apenas um vereador da oposição para ter a maioria na Casa e eleger um aliado para o comando do Legislativo. Mas a tarefa está sendo bem mais difícil do que se imaginava.

Nas montanhas
Vereadores de oposição permanecem fechados e aparentemente intransponíveis. Na virada de segunda (05) para terça (06), os parlamentares voltaram a sair da cidade. Eles se reuniram a portas fechadas em uma propriedade na região montanhosa do ES, com o objetivo de se blindarem e articularem os próximos passos. Foi pelo menos a 2ª vez que o grupo lançou mão da tática para ficar longe do assédio dos interlocutores de Audifax.

Só por educação
Vereadores do grupo dos 12 oposicionistas dizem, à boca miúda, que só continuam falando com os emissários de Audifax por consideração aos colegas. Com isso, começa a ganhar força a tese de que o prefeito só vai virar esse jogo se entrar pessoalmente no campo e chutar a bola, ou seja, negociar diretamente com os vereadores que deseja puxar para seu time.

Defesa da casa
Após ser condenado pela Justiça por nepotismo seu último mandato à frente da prefeitura da Serra, entre 2009 e 2012, o deputado federal Sérgio Vidigal (PDT) contou com a solidariedade da sua esposa Sueli Vidigal. Numa rede social, a ex-deputada estadual e federal e ex- secretária de estado disse que a condenação foi uma retaliação do Judiciário, por Vidigal ter votado pela inclusão de membros do Ministério Público e da Justiça na lei das 10 medidas anticorrupção, que acabou sendo deformada pelo Congresso Nacional.

Defesa da casa II
Segundo Sueli, soou muito estranho o marido ter sido condenado em um processo que corria desde 2012 um dia após seu posicionamento na Câmara, onde defendeu nova regra para que juízes e promotores corruptos “sejam penalizados, como pessoas normais e não premiados como acontece hoje com aposentadoria compulsória que lhes garante um alto salário”, completou Sueli. 

Comentários

Mais notícias

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela insistente queima de pneus que...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia de coronavírus. Em abril, 5.605...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!