Rifa petista

0

A situação financeira do PT no Estado segue caótica. Segundo informações de militantes da legenda, falta verba até para o pagamento do aluguel da sua sede estadual, em Vitória. Funcionários também estão sendo dispensados a fim de enxugar os custos com pessoal. Também foi feita uma rifa para arrecadar recursos e melhorar a situação financeira da legenda. O bem a ser sorteado é um carro, e o valor da rifa é de R$ 500.

Alô Manato

Presidindo a sessão na Câmara dos Deputados na última terça-feira (14), o deputado capixaba Carlos Manato (SD) não abriu mão de atender ao celular enquanto concedia a palavra (e os apartes) aos colegas no Plenário.

Convidado

Ex-secretário de Finanças da Serra, José Maria de Abreu Júnior (PSDB), deve tomar posse nesta sexta-feira (17) como diretor presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), órgão do Governo do estado. O convite, segundo Júnior Abreu, partiu do governador Paulo Hartung (PMDB).

Não é mais Branco  

O advogado Helon Martins de Carvalho, o popular Branco, avisa aos companheiros do PSB que não responde mais pela presidência municipal do partido desde março, quando o comando da legenda foi passado para o deputado estadual Bruno Lamas. Em função disso, Branco solicita que toda sorte de demandas atualmente dirigidas a ele, como filiações e dados de receita e despesa, sejam encaminhadas ao novo presidente.

Adeus enforcamento

Com o calendário para 2015 que previa ponto facultativo na próxima segunda-feira (20), deputados estaduais foram convocados a interromper o “enforcamento” e comparecer ao Plenário na véspera do feriado de Tiradentes para a votação de projeto que possibilita o pagamento das despesas de hospitais filantrópicos do Espírito Santo. A matéria tramita em regime de urgência na Casa.

Omissão no ar

O secretário de Meio Ambiente do Estado, Rodrigo Júdice, não se pronuncia sobre a poluição do ar gerada pela queimada das turfas na Serra, que está castigando moradores da Grande Vitória. A assessora de imprensa da pasta, Amanda Amaral, argumenta que as consequências da queimada são de impacto local e que só o Corpo de Bombeiros pode falar. Acrescentou que os índices de poluição do ar medidos na região estão dentro dos padrões. Enquanto isso, centenas de pessoas lotam consultórios, postos de saúde e hospitais por problemas respiratórios. E ainda têm de pagar a conta para manter a estrutura do Meio Ambiente estadual.

Comentários
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.