Penadas e tucanadas

0

As eleições internas do PSDB capixaba seguem movimentando os bastidores políticos. Não era para menos, há um ano do pleito de 2018, a sigla dos tucanos é uma das forças partidárias mais sólidas no tabuleiro eleitoral. Internamente há duas correntes disputando espaços: a primeira representada pelo vice-governador César Colnago junto à turma mais ligada ao governador Paulo Hartung (PMDB); a segunda, liderada pelo prefeito de Vila Velha, Max Filho, que não deixa de ser um aliado do Palácio Anchieta, mas diferente de Colnago, tem posições mais independentes. Grande parte do ninho tucano defende consenso. Inclusive o atual presidente da sigla, Jarbas de Assis e o senador Ricardo Ferraço, vêm trabalhando para isso.

Colnago amigo da Rede

Quem está na torcida pelo grupo de Colnago é a Rede do prefeito da Serra Audifax Barcelos. Fala-se nos bastidores que caso o vice-governador assuma o comando do PSDB capixaba, seria a gota d’água para consolidar a saída do deputado estadual Sérgio Mageski. O deputado é um dos maiores opositores à Hartung, e vem sendo sondado com intensidade pela Rede. A intenção do partido de Marina seria lançar Mageski como candidato a senador da república. Alguns membros da Rede, inclusive, assumem que entre Mageski e o apoio de Hartung, a preferência é pelo deputado.

Por que não eu?

Lideranças próximas de Audifax e do deputado federal Sérgio Vidigal, não costumam falar a mesma língua. Mas sobre uma questão específica, os discursos de ambos estão idênticos. Quando perguntados sobre o apoio do governador Paulo Hartung, a resposta é voz única: “ou é um, ou é outro, aos dois é impossível”, claro, se referindo a conhecida disputa Audifax X Vidigal.

Catirica cheio de Paixão

Está pegando fogo no bairro Parque das Gaivotas, Nova Almeida. Isso porque o processo eleitoral para a associação comunitária do bairro está aberto, e as lideranças vêm se acotovelando. Formaram-se duas chapas. A chapa 01 é ligada ao vereador Roberto Catirica (PHS) com apoio da turma de Audifax, e os nomes que devem encabeçar o grupo são o Padre Eliezer e o atual presidente Nilo. Já a outra chapa é ligada a vereadora Cleusa Paixão (PMN) junto com membros associados ao ex-prefeito Sérgio Vidigal, os cabeças dessa chapa devem ser Edimo e Edilson Costa. Inclusive, membros da chapa 01 vêm circulando por aí afirmando que tem “áudios reveladores” contra a vereadora Cleusa, que apoiou Vidigal em 2016, mas hoje faz parte da base de governo de Audifax. Cenas para os próximos capítulos.

Assim nem Santos ajudam

Quem está chateado com o secretário municipal de Saúde, Benício Santos são as lideranças de Praia II, que compreende Manguinhos, Bicanga, Carapebus, Novo Horizonte entre outros bairros. Na última quarta-feira (20) estava marcada uma reunião do secretário com 11 lideranças de Praia II. O objetivo eram demandas dos postos de saúde da região, porém Benício deu aquele famoso chá de cadeira de mais de 1h30 na turma, e revoltados, os 11 se levantaram e foram embora cuspindo marimbondo. Lembrando que recentemente o sindicato dos servidores da Serra, o Sermus, abriu uma representação criminal contra o secretário, sob a acusação de abuso de autoridade. Recentemente o vereador e líder do governo, Luiz Carlos Moreira (PMDB), disse que a fama de Santos é de ser “arrogante”.

Viramos o Espírito de Porco

Espírito de Porco. Esta é a sugestão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes para o Espírito Santo. Durante o julgamento de uma ação na Corte, em que o Ministério Público Federal pede que o ensino religioso nas escolas seja de natureza não confessional – sem vinculação a uma religião específica, o ministro que é contrario a ação ironizou o caso, dizendo que, daqui a pouco vai ter que alterar os nomes dos Estados: “São Paulo passaria a chamar Paulo? Santa Catarina passaria a chamar Catarina? Espírito Santo, poderia se pensar num Espírito de Porco?”. É claro que a declaração pegou mal nas redes sociais. A votação que ocorreu nessa quinta-feira (21) foi suspensa para a próxima quarta (27).   

Malini assume PP

A partir da próxima semana, o Partido Progressista (PP) deve instituir sua nova Executiva da Serra. Com a mudança, a legenda sai das mãos do vereador licenciado Guto Lorenzoni e deve passar para o comando do deputado estadual Jamir Malini. “Me pediram para montar a provisória, na Serra. Passo a ser presidente e os demais nomes serão escolhidos”, adiantou Malini. A troca na Presidência do PP foi uma iniciativa do presidente estadual, deputado federal Marcus Vicente, diante da possibilidade de saída de Guto Lorenzoni, que virou secretário na gestão Audifax e deve migrar para a Rede, onde disputaria uma vaga de federal. Com isso, Malini, se torna principal liderança da legenda na cidade e assume a Presidência na Serra.

Dem cada vez mais Audifax

Mudanças no comando do Democratas municipal. Sai Enivaldo Dias da Presidência e quem assume é o vereador Wellington Alemão. A troca deve ser confirmada, diante da pressão que o vereador tem feito sobre a direção estadual, alegando que não tem liberdade para direcionar o mandato para a base de apoio do prefeito Audifax Barcelos (REDE). Com a ida de Alemão para a Presidência, é provável que algumas lideranças migrem para outras agremiações, uma vez que dentro do partido há muitas pessoas ligadas ao ex-prefeito Sérgio Vidigal (PDT), e a tendência agora é o DEM selar acordo com a administração de Audifax. Lembrando que na eleição de 2016, o DEM rachou, parte caminhou com Audifax e parte com Vidigal.

 

 

 

Comentários