18.8 C
Serra
quinta-feira, 28 de Maio de 2020

A Hora dos Suplentes I

Leia também

Fábio Duarte, escolhido por Audifax para ser o seu sucessor, fala um pouco da sua história

Administrar uma Prefeitura como a da Serra, o município mais populoso do Estado, não é para qualquer um. Suceder...

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas....

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Problemas judiciais, investigações do Ministério Público e clima de denuncismo mútuo têm deixado os suplentes animados com a Câmara da Serra. Publicamente eles pouco falam; mas, nos bastidores, estão olhando com lupa a Casa de Leis, que tem vivido dias de muita perturbação política. Ao menos cinco vereadores estão no foco dos suplentes: a ex-presidente Neidia (PSD) já caiu por conta de acusações de improbidade administrativa e quem subiu foi Fabão da Habitação (PSD); já o vereador Nacib Haddad (PDT) está afastado devido a acusações de cartel em licitações. Seu suplente, o ex-deputado Wanildo Sarnaglia, aguarda uma posição do presidente da Câmara, Rodrigo Caldeira (Rede), para assumir a vaga.

A Hora dos Suplentes II
Outros enrolados são Geraldinho Feu Rosa, que enfrenta dois inquéritos no Ministério Público: um por rachid e outro por nepotismo. E, recentemente, foi expulso do PSB por infidelidade partidária e vai ter que brigar pelo mandato na Justiça. Seu suplente é Fábio Latino (PSB), muito ligado ao secretário estadual Bruno Lamas (PSB). Além deles, há o vereador Fábio Duarte (PDT), que vai encarar uma comissão processante na Câmara que o acusa de quebra de decoro parlamentar. Neste caso, o segundo suplente seria Boy do INSS (PDT). Por fim, o vereador Guto Lorenzoni (Rede), que está todo embolado com o ex-partido, o PP. A sigla está sedenta pelo mandato do vereador, após Guto ter trocado de partido para disputar a eleição de 2018. Seu suplente é Saulo Brum (PP).

Vidigal repaginado

Fontes próximas contam que o ex-prefeito e atual deputado federal Sérgio Vidigal (PDT) esboçou entrar na crise institucional da Serra, que colocou em guerra o prefeito Audifax Barcelos (Rede) e o presidente da Câmara, Rodrigo Caldeira (Rede). Uma reunião com oposicionistas estaria sendo gestada, mas foi abortada após uma “reflexão” de Vidigal. A ideia parece ser esperar e ver como as coisas irão caminhar daqui para frente. Pessoas ligadas ao deputado afirmam que ele voltou a se animar em ser candidato a prefeito em 2020 e quer intensificar o mandato em Brasília com temas ligados ao perfil eleitoral da Serra e se fazer mais presente politicamente no município.

Previdência não, costumes sim

Vidigal assumiu uma postura muito crítica contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro, a qual é notoriamente impopular nas classes sociais mais baixas; mas, ao mesmo tempo, está dando forte publicidade ao seu projeto que prevê aumento de penas para o crime de desrespeito às crenças religiosas, que atende ao público evangélico, que tem forte apelo na Serra. Ele chegou a citar o episódio ocorrido durante o carnaval de 2019, quando a apresentação de uma escola de samba mostrou uma simulação da luta entre Satanás e Jesus Cristo que foi alvo de muita polêmica na época. “Não podemos confundir liberdade de expressão, de manifestação artística, com ofensa a uma crença”, disse Vidigal.

Emergente…

Na semana passada, o Tempo Novo repercutiu uma nota sobre o bom desempenho do produtor de eventos Adaucto Morais na área cultural do município. Além disso, informou que ele estaria sendo cotado para ser candidato a vereador da Serra, uma vez que assumiu uma posição de destaque no DEM. Vale destacar que Adaucto é irmão do secretário estadual Bruno Lamas (PSB).

… e discreto

O produtor encaminhou uma mensagem ao jornal para esclarecer que não está em seus planos ser candidato; entretanto, confirma que irá militar na política partidária: “Além de reorganizar a sigla (DEM), vamos organizar uma boa e competitiva chapa de vereadores. Vamos nos apresentar para debater com a população e com as entidades os principais desafios e potencialidades da nossa querida Serra. Agradeço também as inúmeras manifestações de apoio que recebi. Importante destacar que não serei candidato em 2020”.

Comentários

Mais notícias

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas. Houve redução de 31% na...

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na madrugada desta quarta-feira (27), no...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!