• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados
25 C
Serra
terça-feira, 13 abril - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados

Opinião do TN: ‘Guardiões do Crivella’ na Serra? Aqui não

Leia também

CPI dos Maus-Tratos irá ouvir homem suspeito de golpear cadela com facão na Serra

O homem suspeito de dar golpes de facão na cabeça de uma cadela na Serra será ouvido pela CPI...

Em apenas 24 horas, Serra perde mais 11 moradores para o coronavírus e atinge 967 óbitos

Um dado estarrecedor do pico da pandemia causada pelo coronavírus – em maio de 2020– voltou a assombrar os...

Serra começa a vacinar policiais e guardas municipais contra o coronavírus nesta quarta

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria de Saúde da Serra (Sesa), iniciará a vacinação dos trabalhadores da força...
Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é repórter do Tempo Novo. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a editoria de política.

As mídias sociais chegaram para revolucionar a forma pela qual a sociedade interage. Mas como toda invenção do homem, seu uso depende da finalidade e das pessoas. Um avião – inventado por Santos Dummont em 1906, pode ser usado para o bem coletivo, no entanto, também é ferramenta de guerra.

Assim funciona as mídias sociais que potencializaram numa escala nunca antes vista o fenômeno de comunicação em rede.

Porém, entre os subprodutos desse contexto também estão algumas distopias.

Entre os mais nocivos está o processo de falsificação da opinião pública que paradoxalmente usa as liberdades democráticas para atacar a democracia. As possibilidades de falsificação dos Trending Topics no Twitter utilizando robôs e de broadcasting privado usando o fluxo descendente em árvore no WhatsApp, por exemplo são alguns dos meios de manipulação da opinião pública.

Mas na Serra, neste período eleitoral, o que tem se observado é outra forma de ataque à democracia. Trata-se da ação coordenada de cabos eleitorais, militantes e perfis fakes para promover ataques de enxame (conhecidos como warmm attacks) muitas vezes distribuindo desinformação, fake news e deslegitimando tudo aquilo que não os agradam na tentativa de falsificar a opinião pública objetivando a manipulação por meio dos efeitos manadas e efeito avalanche, por exemplo.

TEMPO NOVO segue apurando informações vindas de fontes de bastidores – de dentro de alguns QG’s de comando de candidatos a prefeito. Mas já está claro que a forma de organização desses enxames se dá através do whatsapp, coordenados e centralizados por aliados de primeira hora e/ou familiares dos candidatos. A organização se dá através de comandos para atuação em massa e conjunta especialmente no Facebook, Instagram e grupos de whatsapp. É uma espécie de ‘Guardiões do Crivella’ só que de atuação propriamente virtual que visa a intimidação online e a fabricação de ‘verdades’.

Recentemente em uma matéria publicada pelo TEMPO NOVO, da qual trazia a informação de uma decisão judicial envolvendo um pré-candidato, foi observado a ação coordenada do ataque de enxame virtual, que tentou deslegitimar o conteúdo – classificando errônea e propositalmente como fake news, e distribuindo ofensas e informações difamatórias ao veículo de comunicação. Coincidentemente ou não, também observou-se tentativas de derrubar o site do Jornal Tempo Novo por meio de ataque DDoS.

Estes e outros ataques já observados, visam desacreditar e substituir o ambiente discursivo da democracia, presidido por uma razão comunicativa, por um enxame replicante de pequenos reinos de narrativas (fake news e pós-verdades), regidos pela dinâmica da guerra de versões, coordenadas e centralizadas. Não se busca a dialética, o entendimento e o esclarecimento e sim impor uma versão e destruir as versões indesejadas. Todos que intentam expressar uma versão diferente daquilo que é desejado passam a ser “os inimigos”.

Por isso, o TEMPO NOVO – fundado em 1983 como um levante local contra a ditadura militar brasileira, não vai se envergar a nenhuma forma de intimidação, e irá combater qualquer um que tente usar as liberdades democráticas contra a democracia. Perfis fakes serão sumariamente banidos das páginas oficiais do jornal, qualquer tentativa de espalhar desinformação aos leitores advindas de ações coordenadas por meio dos enxames, serão excluídos, e aqueles que optarem pela difamação e ofensas serão processados.

O Tempo Novo é um canal de debate de ideias, é um dos ambientes virtuais onde a Serra se encontra e que preza pela pluralidade de ideias natural a uma democracia. Estamos a todo momento passível de críticas, desde que sejam feitas de maneira respeitosa e imparcial. A liberdade de imprensa incomoda aos poderosos e pretensos poderosos, e vai continuar incomodando.

Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é repórter do Tempo Novo. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a editoria de política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!