26 C
Serra
terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

WhatsApp aproxima PM e moradores contra crimes na região de Laranjeiras

Leia também

Câmara aprova contas de 2013 do prefeito Audifax Barcelos

Em uma sessão rápida, com pouco mais de 24 minutos, e sem discursos, a Câmara da Serra aprovou durante...

Opinião do leitor | Comentários à nova Lei de Abuso de Autoridade

A lei nº 13.869 de 2019, nova lei de abuso de autoridade, que entrou em vigor em 3 de...

Com investimento de R$ 18 milhões, Atacado Vem será inaugurado nesta terça

A partir desta terça-feira (18), a Serra contará com mais um 'atacarejo'. As margens da BR-101 e com um...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Policiais da 2ª Cia com o síndico do condomínio Recreio das Laranjeiras, Flávio Dionísio, que faz parte dos grupos. Foto: Gabriel Almeida

Ana Paula Bonelli

Desde que se popularizou, o WhatsApp e outros aplicativos de mensagens instantâneas vêm progressivamente sendo usados por moradores e policiais que atuam nas comunidades para a comunicação direta. Em Laranjeiras e bairros do entorno, região da Serra com muita ocorrência de crime contra patrimônio, a Polícia Militar sistematizou o uso da ferramenta para tentar prevenir  furtos, assaltos e outras ações violentas.  

A iniciativa é da 2ª Companhia da Polícia Militar, através do programa Rede Comunidade Segura, cujo objetivo é aproximar os agentes de segurança pública com o cotidiano de quem mora na região. Quem explica é o comandante da 2ª Cia, Capitão Aluízio Antônio Feletti.

“Nosso foco é a prevenção. Atualmente temos três grupos no WhatsApp específicos, condomínio, comércio e residência monitorada. Nosso objetivo é criar um ambiente onde a comunidade compartilhe seus hábitos, dificultando a ação de criminosos e disseminando o uso de aplicativos visando o monitoramento das ruas e área privadas”, detalha Feletti.  

Desde que os grupos foram criados, em maio de 2018, os policiais já fizeram 7 mil visitas a comércios, condomínios, hospitais, escolas, além do Terminal de Laranjeiras, Hospital Jayme Santos Neves e Dório Silva. “São visitas preventivas com o intuito de conviver com a comunidade. O policial quer conhecer e ser conhecido. Saber as demandas e trazer segurança para os moradores”, salienta o comandante.

Feletti conta ainda que a meta é incluir o maior número possível de condomínios, comércios e residências nesse sistema, que deve ser ampliado. Uma das dicas que o capitão dissemina nos grupos é o uso de aplicativos como o Sinesp Cidadão, onde é possível consultar placas de veículos. E do portal do Conselho Nacional de Justiça (https://portalbnmp.cnj.jus.br/) para consulta de mandados de prisão em aberto. 

Com essas ferramentas na mão, o morador colocará as informações no grupo e ligará no telefone da companhia caso aviste movimentação suspeita. “Já em caso de crime em andamento (emergência) orientamos ligar para o 190. Em seguida, se estiver em segurança, pedimos ou morador ou comerciante que coloque as informações no grupo e ligue para a Cia”,  orienta.

Síndicos relatam melhora na sensação de segurança

De Colina de Laranjeiras, Flávio Dionísio é síndico do condomínio Recreio das Laranjeiras há quatro anos e conta que após a implantação da iniciativa melhorou a sensação de segurança. a

“A nossa rua é bastante perigosa, pois tem o fluxo grande e duas saídas, uma para a BR e outra para Taquara. Estavam acontecendo muitos assaltos. O projeto foi bem aceito pelos moradores e nós ajudamos a monitorar nossa região. O imóvel foi valorizado, quando uma pessoa vem para alugar ou comprar e vê a placa do programa, a sensação de segurança aumenta. O número de assaltos também diminuiu, mas não acabou. Hoje, os bandidos agem de moto ou bicicleta, a pé não tem mais. E quando tem algum movimento estranho, a gente avisa pelo grupo do WhatsApp e a viatura chega rápido”, destaca o síndico.

Para Cristina Lana, que é síndica do condomínio Reserva Bosque dos Ipês, em Santa Luzia, o projeto é inovador. “E um formato de polícia que a gente não está adaptado a ver, dos policiais estarem em contato com a comunidade. Eu tenho o telefone do Capitão e falo com ele sobre segurança. É de se espantar, porque o Feletti tem um empenho muito grande, e ele não só fala, ele faz. O relacionamento estreitou e só vejo ganhos, pois melhorou a sensação de segurança ”, destaca.

A 2ª Cia é responsável pela segurança de nove bairros: Parque Residencial Laranjeiras, Colina de Laranjeiras, Morada de Laranjeiras, Valparaíso, Santa Luzia, Chácara Parreiral, Guaraciaba, Camará e Civit II.

Comentários

Mais notícias

Opinião do leitor | Comentários à nova Lei de Abuso de Autoridade

A lei nº 13.869 de 2019, nova lei de abuso de autoridade, que entrou em vigor em 3 de janeiro de 2020, trouxe ao...

Com investimento de R$ 18 milhões, Atacado Vem será inaugurado nesta terça

A partir desta terça-feira (18), a Serra contará com mais um 'atacarejo'. As margens da BR-101 e com um investimento de R$ 18 milhões,...

Frequentadora reclama de sujeira e falta de manutenção no Horto Municipal

Frequentadora do Horto Municipal, na Serra Sede reclama que o local de lazer está abandonado. Segundo a mulher que não quis se identificar, o local,...

Moradores da Serra vão ficar sem água nesta quarta

Por conta de obras que serão realizadas pela Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), alguns bairros da Serra ficarão sem água durante a próxima...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem