Polícia Federal prende na Serra homem ligado a roubos em agências dos Correios

0
Segundo a PF, durante seu primeiro interrogatório, o homem confessou ter roubado outras cinco agências, fora outras duas, das quais uma foi preso em flagrante e outra que ele é investigado. Foto: Divulgação

Quatorze policiais federais participaram de uma operação na Serra cujo objetivo é combater o roubo a agências dos Correios.

A Operação Aprendiz aconteceu no Bairro das Laranjeiras, região de Jacaraípe, na manhã desta quinta-feira (27) e foi realizada pela Delegacia de Combate a Crimes Contra o Patrimônio e Tráfico de Armas (DELEPAT) da Polícia Federal. Na ocasião, foi realizado o cumprimento de três mandados de busca e apreensão na residência ligada ao investigado, que fica no Bairro das Laranjeiras.

J.N.S.J., de 20 anos, está sendo investigado pelo roubo à agência dos Correios de Laranjeiras em 09 de novembro de 2018. Contudo, ele já havia sido preso em flagrante também por roubo à agência dos Correios em 09 de janeiro do mesmo ano.

Durante seu primeiro interrogatório, confessou ter roubado outras cinco agências. Posteriormente, ao ter sua imagem confrontada com vídeos de circuito de monitoramento de agências, foram identificados mais quatro roubos, totalizando dez crimes em agências dos Correios no Espírito Santo, no período entre maio de 2017 a janeiro de 2018.

O homem cumpriu pena até outubro de 2018, quando progrediu para o regime aberto. Menos de um mês após estar em liberdade, já retornou à atividade criminosa, sendo suspeito de ter roubado mais cinco agências até o mês de maio de 2019.

Segundo a Polícia Federal, o grupo criminoso atua rendendo os funcionários e clientes da empresa pública, aguarda o mecanismo de retardo do cofre para abri-lo e supostamente tranquiliza as vítimas dizendo que só querem o dinheiro do governo.

A PF disse ainda estima-se que esses crimes geraram um prejuízo milionário aos Correios, além do prejuízo causado pelo abalo psicológico aos funcionários e clientes vítimas do crime, bem como os dias em que as agências permanecem sem atendimento ao público até recuperar a condição de funcionar adequadamente.

O investigado responderá pelo crime de roubo qualificado.

Comentários