26.7 C
Serra
terça-feira, 18 janeiro - 2022
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Música tira cantor da prostituição na Serra

Leia também

Velório e sepultamento de Hermes Scardini será nesta quarta (19)

Está marcado para esta quarta-feira (19), a partir das 7h30, no cemitério Jardim da Paz, em Alterosas, o velório...

Cadela é encontrada esquartejada em possível ritual de magia negra na Serra

Uma cena forte, um crime cruel e bárbaro marcou o final da tarde desta terça-feira (18) dos moradores de...

Serra ultrapassa 85 mil casos de Covid-19; 1.061 foram registrados nas últimas 24h

De segunda (17) para terça-feira (18) a Serra registrou 1.061 novos casos de Covid-19. De acordo com dados do...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Por Clarice Poltronieri 

Além da música Biriba Sampaio prepara quadro humorístico para TV
Além da música Biriba Sampaio prepara quadro humorístico para TV. Foto: Clarice Poltronieri

A música tem grande poder de transformação na vida das pessoas. Prova disso é o que aconteceu com Wanderson da Silva Sampaio, de 25 anos. Ele se prostituía na BR 101 na região conhecida como Copo Sujo, em Jardim Limoeiro. Atividade que largou para cantar e dançar na recém-criada Mixtureba, nova banda serrana que reúne diversos gêneros de forró com visual extravagante a la Secos e Molhados e Carmem Miranda.

Para isto ele mudou a aparência. Deixou de se vestir de mulher e adotou o nome artístico de Biriba. Como pessoas de seu perfil, Biriba tem uma história carrega de rejeição e dificuldades.

Ele veio de São Gabriel da Palha, onde morava com o pai e madrasta, ambos evangélicos.  Aos 11 anos o jovem assumiu sua homossexualidade. Na sequência foi expulso de casa por seu pai.

Não obstante sua pouca idade, passou a trabalhar em um bar que também era casa noturna. Ocasião em que conheceu um travesti que lhe deu apoio. O ainda menino ingressou na prostituição, entrando e saindo do submundo das drogas várias vezes.

Aos 15 anos saiu do interior. Numa das viagens que fez à Vitória, onde mora sua mãe, foi agredido por um grupo de jovens por puro preconceito.  Sua mãe quis acolhê-lo, mas o marido dela não deixou.

Após esse episódio, tentou largar a prostituição e passou a trabalhar em uma fábrica de roupas, mas a rua o chamava. Dos 17 aos 24 anos, Biriba viveu nas drogas, morou nas ruas e até comeu lixo.

Virando a página com ‘Mixtureba’

Há cerca de um ano a vida do jovem começou a mudar quando ele conseguiu um emprego de panfleteiro com Romero Figueredo, produtor da banda Black Set. Romero enxergou no rapaz uma figura comunicativa e o convidou para fazer a panfletagem de um show da banda.

“Vi que Wanderson tinha uma energia diferente, que era muito comunicativo e seu perfil era perfeito para divulgação da Black Set”, disse Romero.

“Romero achou que eu era mulher. Ao ver que eu era travesti teve receio. Mas comecei a cantar e ele resolveu investir no meu talento”, conta Biriba.

Na mesma semana em que conheceu Romero, Biriba teve a oportunidade de se apresentar com a Black Set e logo depois foi convidado a cantar na banda Fascínio. Mas Biriba voltou à vida noturna e saiu da banda.

“Eu não tinha hora para nada, não arcava com os compromissos. Mesmo assim Romero insistiu para eu voltar. Foi quando encontramos os outros músicos e criamos o Mixtureba. Se não fosse o Romero, eu não teria voltado”, afirma.

Biriba estreou em 14 de novembro com a banda Mixtureba, onde faz vocal feminino, no Singos Club. Em 1º de dezembro vai estrear um quadro na Record dentro do Programa Balanço Geral, onde fará performances de personagens populares.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!