23.7 C
Serra
sexta-feira, 10 de abril de 2020

Deficiente visual serrano supera obstáculos e se torna empreendedor de sucesso na internet

Leia também

Império de Fátima vai doar cestas básicas para circos e máscaras para unidades de saúde da Serra

A escola de samba Império de Fátima se mobilizou para ajudar famílias carentes e artistas circenses da Serra. A agremiação...

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada...
Vilson Vieira Jrhttps://www.portaltemponovo.com.br%20
Morador da Serra, Vilson Vieira Junior é repórter do Tempo Novo. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Esporte.

Jamilson se tornou bem-sucedido no marketing digital e tem clientes até de fora do país. (Foto: Divulgação)

Um empreendedor visionário e movido a desafios. Para ele, buscar resultados é o seu principal mantra na vida profissional. Com 27 anos, o morador de Parque Residencial Mestre Álvaro Jamilson da Silva Andrade se destaca na área de Marketing Digital, atende a grandes empresas, dá palestras em eventos de nível nacional e trabalha em casa. É o seu próprio patrão, como gosta de dizer. Só que faltou um detalhe nesta apresentação. Detalhe que, hoje, para o empreendedor serrano, é algo trivial, mas que marcou boa parte de sua vida. Jamilson teve perda total da visão ainda muito jovem.

“Nasci com catarata congênita no meu olho esquerdo e não houve observação médica quanto a isso. Eu cresci e esse problema impediu o desenvolvimento da visão esquerda, e quando foi descoberto, não tinha mais reversão. Passei a usar óculos, porque eu tinha miopia, então usava óculos ‘fundo de garrafa’, desde os 3 ou 4 anos de idade”, conta ele, que, nessa época, gostava de ler revistas em quadrinhos.

Mas aos 9 anos, seu olho direito foi atingido por uma bola quando brincava, o que gerou um deslocamento de retina justamente do olho pelo qual enxergava melhor. Passou por uma cirurgia e, durante o período de repouso, em meio às peripécias de criança – ele conta que era um “garoto inquieto” – seu olho direito foi novamente prejudicado, sendo atingido em cheio por uma bolinha de tênis.

Os médicos, então, disseram que o caso de Jamilson poderia se tornar irreversível e ele perder gradativamente a visão, até que na adolescência, as dificuldades no dia a dia começaram a aparecer. “Foi uma fase muito difícil, porque eu tive que me adaptar, e eu não nasci cego. Deixei de andar de bicicleta, de desenhar, de jogar videogame, de assistir a animes”, relata.

E o futuro se aproximava cada vez mais para Jamilson, o que o fez refletir: “Era chegado, então, o momento de escolher qual profissão seguir, o que fazer da minha vida. Vou trabalhar com o quê?”, indagava, à época. Direito, Licenciatura, Música e Jornalismo eram as profissões que, segundo ele, eram mais compatíveis com sua deficiência visual; porém, não despertaram seu interesse.

Hoje com 27 anos, Jamilson é exemplo às pessoas com deficiência que buscam realizar seus sonhos. (Foto: Divulgação)

Mas as respostas sobre qual carreira seguir na vida não demoraram a aparecer. Com o sonho de trabalhar em casa, sem precisar enfrentar os inúmeros obstáculos que o dia a dia impõe às pessoas com deficiência, Jamilson começou a se encontrar profissionalmente no Marketing. “Antes, fiz Recursos Humanos, tinha uma bolsa de 100% no curso; contudo, não gostei, por conta dessa coisa burocrática, muito estagnada, uma profissão parada. Então, pedi transferência para o Marketing. Aí sim, nessa área, fazendo trabalhos na faculdade, pesquisei sobre o Marketing Digital, achei muito interessante e escolhi essa profissão”, revela.

Foi a escolha que mudou a vida de Jamilson para sempre. “Mas antes disso, tinha três opções: fazer concurso público, entrar numa empresa privada ou empreender. O que eu faço hoje é empreender. Fui conhecendo e prestando alguns serviços e percebi que tinha uma veia de vendedor, que era um vendedor nato. Eu vendia muito bem. E as pessoas não tinham receio de comprar de mim”, explica.

Para ele, a carreira numa empresa privada, geralmente, é mais difícil para um deficiente visual, além da pouca valorização desse profissional. “Nunca fiquei correndo atrás de emprego em empresa privada, porque sempre achei que é um mercado muito restrito. Sempre quis ter meu negócio próprio, criar, inovar”, ressalta o bem-sucedido Jamilson.

Atuando como copywriter – algo próximo de um redator publicitário -, o jovem empreendedor serrano agora tem o seu negócio de comunicação, que atende várias empresas brasileiras e até de outros países. E tudo à distância, pela internet, com clientes do outro lado do mundo. “Me especializei em Copywrite, que é uma espécie de redação de textos persuasivos para empresas. Descobri a mina de ouro; pessoas e empresas passaram a me procurar e comecei a atender clientes no Japão. E isso apenas com a escrita, um computador e mais nada. Mas não é uma escrita simples. Eu cheguei a estudar oito horas por dia para fazer o que eu faço hoje [marketing digital e desenvolvimento de comunicações persuasivas]”, detalha.

Ele produz os textos e faz os contatos com os clientes, mas conta com a ajuda preciosa da esposa, Ingrid, que gere as ferramentas da internet e cuida do financeiro. “Hoje, trabalho com clientes que não sabem que sou cego”, destaca Jamilson, fazendo lembrar a todos que nenhuma forma de deficiência é capaz de impedir a realização de metas na vida.

Jamilson é convidado a dar palestras pelo país em grandes eventos da sua área de atuação, como o ‘Afiliados Brasil’, que reúne empresas, agências, publicitários e profissionais da internet ligados ao desenvolvimento de projetos comerciais na web. O serrano contou sua história para mais de cinco mil pessoas.

Comentários

Mais notícias

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de secretário de Serviços e de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada pela Secretaria de Estado da...

Serra tem 11 novos casos de coronavírus e registra 64 pacientes contaminados

Em 24 horas, a Serra teve um aumento significativo no número de casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com a última atualização divulgada pela...

Novos partidos alteram o tabuleiro no plenário da Câmara da Serra

Os sem-partido Os vereadores passaram um perrengue nos últimos dias do prazo para filiação partidária para quem tem mandato, 3 de abril. Após o corre-corre,...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem