22.6 C
Serra
sábado, 04 de julho de 2020

Contorno do Mestre Álvaro

Leia também

Projeto garante teste gratuito de coronavírus a doadores de sangue

Tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei versa sobre a inclusão de testes para detecção da Covid-19 em...

Viviane Miranda fará segunda live solidária no dia 12 de julho

A cantora Viviane Miranda, moradora de Feu Rosa, na Serra, fará sua segunda live solidária no próximo dia 12...

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

É inegável que a notícia do início da construção do Contorno do Mestre Álvaro representa uma excelente notícia para o município da Serra neste início de agosto. Contudo, pela experiência pretérita em relação à grandes obras federais no Espírito Santo temos motivos para ficar apreensivos.

Bem verdade que não faltam exemplos de atrasos e má qualidade em obras no Brasil todo – haja vista as trapalhadas nas preparações para os jogos olímpicos. Definitivamente não é uma exclusividade capixaba casos como o do Contorno de Vitória e – talvez o mais emblemático de todos – do Aeroporto de Vitória. Assim, será requerido um esforço concentrado de nossas lideranças políticas para garantir fluidez nessa obra que terá impacto positivo também para outros municípios da Grande Vitória.

A gestão local também terá um papel fundamental no processo. Sabe-se que essa via vai abrir uma nova fronteira para o município e a pressão imobiliária será gigantesca para alterar as leis que balizam o atual uso da terra – essencialmente agrícola.

Projetos empresariais e mesmo residenciais, se forem autorizados no futuro próximo, deveriam ter cláusulas bastante específicas em relação às responsabilidades no trato da infraestrutura viária e de serviços à população. Nesse sentido, o recolhimento de resíduos sólidos (lixo) é uma preocupação. O atual modelo é um serviço financeiramente deficitário e uma nova frente de expansão urbana tende a piorar essa relação.

Assim, a pergunta central que se faz é: qual será o legado dessa intervenção viária e urbana? Que modelo de desenvolvimento se espera para aquela região? O potencial de transformação para a Serra com o Contorno do Mestre Álvaro é significativo. Isso é indiscutível. Maior e melhor mobilidade humana talvez sejam os maiores desejos da população. Vale ressaltar, contudo, que tais legados não são automáticos ou inerentes à obra de engenharia. A administração pública e a população têm que ter muito claro os desafios e as potencialidades dessa frente de trabalho.

Comentários

Mais notícias

Viviane Miranda fará segunda live solidária no dia 12 de julho

A cantora Viviane Miranda, moradora de Feu Rosa, na Serra, fará sua segunda live solidária no próximo dia 12 de julho, as 16 horas....

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do acompanhante), que alterou a lei...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!