26.6 C
Serra
sábado, 05 de dezembro de 2020

Castração gratuita | Prefeitura da Serra abre agendamento para tutores de cães e gatos

Leia também

Prefeitura diz que dinheiro em caixa é maior do que dívida consolidada

A gestão atual da Prefeitura da Serra está prometendo deixar o comando do Município com R$ 485.907.651,01 de dinheiro...

Vidigal define equipe para transição de governo. Veja quem são os escolhidos

Após ser escolhido para ser o prefeito da Serra pelos próximos quatro anos, Sérgio Vidigal (PDT) já montou a...

Vice-prefeito eleito cancela agendas após esposa testar positivo para coronavírus

O vice-prefeito eleito da Serra, Thiago Menezes Carrero (Cidadania), cancelou suas agendas externas para os próximos dias. A decisão...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A Serra possui cerca de 75 mil animais. Destes, aproximadamente 15 mil cães estão abandonados nas ruas. Os gatos são em torno de 11 mil, sendo 10% na rua. Foto: Divulgação

Estão abertas as inscrições para os moradores da Serra que quiserem cadastrar seu cachorro ou gato para castração gratuita realizada pela Prefeitura da Serra.

Para se inscrever, o responsável pelo animal, que tem que ser obrigatoriamente morador da Serra, deve fazer o cadastro por meio do portal: http://gti.serra.es.gov.br/vas/ e também pelos telefones: (27) 3281-7721 / (27) 3338-9907, informando os dados pessoais e dos animais que estão sob sua guarda como, por exemplo, espécie, raça, sexo, idade, porte, peso, cor e nome.

Segundo a Prefeitura da Serra, após o cadastro e a triagem feita pela Secretaria de Saúde da Serra, será agendado com o tutor ou responsável pelo animal o dia para receber orientações sobre posse responsável e sobre o procedimento cirúrgico, e apresentar a documentação necessária.

Os documentos tem que ser cópia de comprovante de residência fixa no município; cartão de vacinação antirrábica atualizada; cópia da identidade ou carteira de habilitação e cópia do CPF. Nesse mesmo dia, também será entregue ao tutor do animal uma guia de apresentação para a realização do procedimento cirúrgico com a indicação da clínica ou hospital veterinário e o horário para realização do procedimento de  castração.

Para participar, o tutor dos animais deve ser obrigatoriamente maior de 18 anos. Também serão priorizadas, conforme edital publicado pela prefeitura, famílias de baixa renda, comprovadas no Número de Inscrição Social (NIS), e residentes em áreas com maior número de notificação de casos de agressão animal, zoonoses e densidade populacional de animais. Além disso, os animais devem possuir idade mínima de sete meses e máxima de oito anos.

A seleção também seguirá os seguintes critérios: áreas de maior incidência de agressões por animais; áreas de maior incidência de zoonoses; áreas com maior densidade populacional animal; famílias inclusas em programas sociais tais como, bolsa família, bolsa escola; proprietários que possuírem mais de um animal; animais que estão sobre a guarda das organizações não-governamentais parceiras do projeto; e animais errantes que possuem tutores na comunidade.


Os dez bairros da Serra, onde estas agressões a humanos (animais agressores) mais acontecem, segundo dados de 2018 e 2019, são:

  • Jacaraípe, que possui 8.392 animais, sendo 76 agressões registradas em 2018 e a mesma quantidade em 2019.
  • Já Nova Almeida, vem em segundo lugar com 4.059 animais, 70 agressões em 2018 e 62 em 2019.
  • Serra Sede, 3.609 animais, 85 agressões em 2018 e 61, em 2019.
  • Seguido por Serra Dourada, com 3.277 animais, 60 agressões em 2018 e 53 em 2019.
  • Feu Rosa, com 3.116 animais, com 101 agressões em 2018 e 78 em 2019.
  • Porto Canoa, com 2.816 animais, com 51 casos de agressões em 2018 e 37, em 2019.
  • Em sétimo lugar, vem o bairro Barcelona, com registro de 1.794 animais, com 58 agressões a pessoas em 2018 e 33 em 2019.
  • Laranjeiras, com 1.791 animais, com 58 agressões em 2018 e 50 em 2019.
  • Em seguida, vem Novo Horizonte, com 1.508 animais, com 54 agressões em 2018 e 39 de 2019.
  • Em décimo lugar, vem Jardim Tropical, com 1.357 animais, com 42 agressões em 2018 e 47 em 2019.

No edital publicado pela Prefeitura estima-se uma capacidade para realizar até 50 cirurgias/dia, conforme levantamento realizado em clínicas / hospitais veterinários lotados na Serra, em torno de até 1000 (mil) por mês, as quais obedecerão a proporção média estimada de 80% procedimentos para caninos, 20% para felinos, podendo ser alteradas tais proporções, conforme demanda.

Os recursos financeiros para realização do Projeto de Controle Populacional de Caninos e Felinos no Município da Serra virá do Fundo Municipal de Saúde, através de Recursos Próprios. Estima-se o montante anual de R$ 520 mil para custear as despesas com o presente projeto, sendo estimado até R$ 300 mil para as cirurgias de esterilização até 31/12/2020 e R$ 20 mil para campanhas de educação e conscientização e aquisição de materiais.

Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), para conhecer o tamanho da população de cães de uma determinada cidade, estima, em países emergentes, a proporção média de cão/ser humano de 1:7 a 1:10 (WHO, 1990). Assim, com base nos dados do IBGE que estimou, em 2019, uma população de 517.510 habitantes para a Serra, calcula-se que naquele ano, havia 73.930 animais. Esses dados estão em consonância com a quantidade de animais vacinados na campanha antirrábica de 2018, que atingiu 59.293 cães e 9.459 gatos, totalizando 68.886 animais. Nestes dados, não estão inclusos animais que vacinaram em clínicas veterinárias.

Cabe ainda destacar que 20% dos animais estimados conforme metodologia citada pela OMS, não possuem proprietário, ou seja, vivem soltos em vias públicas. Essa conta na Serra, dá cerca de 15 mil animais vivendo nas ruas da cidade.  Outra grande parcela de animais é semi-domiciliada que, apesar de possuírem um responsável, tem acesso irrestrito à rua sem supervisão.

edital castração-2

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!