Quem compartilha notícias falsas pode estar cometendo crime, alerta advogada | Portal Tempo Novo

Serra, 12 de novembro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Cidade

Serra, 19 de outubro de 2018 às 9:46

Quem compartilha notícias falsas pode estar cometendo crime, alerta advogada

Por Gabriel Almeida
[email protected]

Simone, de Residencial Tubarão, diz que procura saber se as fontes de informação são seguras antes de compartilhar notícias. Foto: Gabriel Almeida

Notícias falsas e boatos estão há tempo presentes no cotidiano de quem usa a internet, mas durante este período eleitoral as chamadas fake news se espalharam de forma avassaladora. Tanto que saber o que é fato, boato ou meia verdade se tornou um desafio. Mas é preciso encarar, até porque quem espalha mentira pode estar cometendo crime. E o melhor caminho é verificar a fonte e sua credibilidade como veículo de informação. 

A advogada Vanessa Santos explicou que atualmente não existe uma legislação específica sobre fake news, mas a pessoa que publica esse tipo de boato pode ser enquadrada no código penal que trata de injúria, difamação e calúnia. A advogada ainda disse que a responsabilidade de divulgação de notícias falsas é de todos que publicam.

“No Brasil não temos legislação especifica sobre o fake News. O que se utiliza é o Código Penal que trata de injúria, difamação e calúnia; o código eleitoral que prevê penalidades de informações inverídicas e a Lei de Segurança Nacional que estabelece punições a quem difundir boatos que causem pânico a população”, explicou Vanessa Santos.

Vanessa ainda disse que é bom verificar os sites que publicam notícias. “A responsabilidade sobre a divulgação de publicações de notícias falsas nas redes sociais é de todos. Por isso a denúncia é primordial. Eu particularmente sempre verifico os sites que publicam notícias que possuem chamadas apelativas e de grande discrepância. Por isso sempre antes de republicar algumas noticias leio e verifico a origem”, disse.

A internauta Luciene Moura de Valparaíso é uma das que sempre verificam a informação antes de compartilhar. “Procuro sempre saber se as fontes são seguras e se as informações procedem. Eu nunca compartilhei um fake news, pois tenho muito zelo quanto a isso devido ter participado até de palestras onde conversamos e aprendemos sobre o assunto”, conta.

Outra internauta que também toma bastante cuidado para não espalhar notícias falsas é a Simone Avelina de Parque Residencial Tubarão. Ela alertou que verificar de a procedência da informação é de extrema importância. “Hoje em dia as redes sociais estão tomadas por notícias falsas e sempre tomo bastante cuidado para não compartilhar algo fácil. Além de processos já fiquei sabendo de casos que levaram pessoas até a morte simplesmente por um boato na internet. Temos que ter cuidado”, afirma.

Apenas 8% de imagens em grupos são verdadeiras, diz pesquisa

Um levantamento realizado por professores da Universidade Federal de Minas Gerais, da Unidade de São Paulo e pela agência de checagem de fatos Lupa em 357 grupos de WhatsApp encontrou entre as imagens mais compartilhadas apenas 8% podendo ser classificadas como verdadeiras.

O estudo analisou conteúdos enviados entre os dias 16 de setembro de 7 de outubro, ou seja, em boa parte do 1º turno das eleições deste ano. A amostra trouxe 347 grupos monitorados pelo projeto Eleição sem Fake, da UFMG. Os resultados, portanto, não podem ser generalizados. Mas trazem indícios importantes para a compreensão deste fenômeno. Ao todo, eles reuniram mais de 18 mil usuários. No período, circularam 846 mil mensagens, entre textos, vídeos, imagens e links externos.

Das 50 imagens mais compartilhadas nos grupos checadas pela agência Lupa, considerando foto e texto, apenas quatro foram consideradas verdadeiras.

 




O que você acha ?

Você acredita no sucesso do governo Bolsonaro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por