22.1 C
Serra
quarta-feira, 08 de julho de 2020

Prefeitura não pune ferro velho que desmonta carro no meio da rua

Leia também

Nova Lei obriga a notificação de casos de violência no Estado

Publicada no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (8), a Lei 11.147/2020 obriga profissionais que atuam em serviços de...

ArcelorMittal vai retomar parte da capacidade produtiva em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e que está com sua capacidade produtiva reduzida à menos da metade, a ArcelorMittal...

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Carro do ferro velho que estava depositado na rua foi queimado na madrugada da última segunda-feira (22). Foto: Divulgação

Mesmo sendo reincidente, o ferro velho localizado em Praia Grande próximo à Ponte Velha que liga à Nova Almeida não recebe punição do município de Fundão por desmontar carros no meio da rua. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura local, a Secretaria Municipal de Obras (Semob), responsável pela fiscalização, não possui instrumento legal para multar o estabelecimento.

Em nota enviada à reportagem na última sexta-feira (26), a assessoria disse que o problema já é conhecido e que toda vez que fiscais do município abordam o proprietário ele faz a adequação. Porém, logo depois, volta a repetir a prática.

A Prefeitura de Fundão não informou se o estabelecimento possui licença ambiental e nem se pretende adotar outro tipo de providência para impedir o desmonte de carros na rua. A situação é alvo de queixa dos vizinhos, que só toparam falar com a reportagem sob a condição do anonimato. Eles por temerem represálias.

Segundo os vizinhos ouvidos, além de ocupar a via pública, o desmonte de carros na rua gera barulho. E as carcaças e peças acabam acumulando água da chuva. E ainda há o temor de contaminação, por resíduos oleosos, do manguezal do rio Reis Magos, que fica próximo.

E não é só isso. Na madrugada do último dia 22 um dos veículos deixados pelo estabelecimento na rua foi incendiado. A situação assustou os moradores por conta do risco do incêndio chegar às casas. O muro de um dos imóveis vizinhos chegou a ser danificado pelo calor.

O estabelecimento fica na Av Linhares. E o terreno para guardar os restos dos veículos não possui cobertura, fica exposto à chuva. A reportagem não conseguiu contato com os proprietários do ferro velho.

 

Comentários

Mais notícias

ArcelorMittal vai retomar parte da capacidade produtiva em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e que está com sua capacidade produtiva reduzida à menos da metade, a ArcelorMittal Tubarão anunciou nesta quarta-feira (08)...

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16 de março – data em...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!