• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados
25 C
Serra
terça-feira, 13 abril - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 50.690 casos
  • 967 mortes
  • 48.401 curados

Polícia Civil não entra em greve agora, diz sindicato

Leia também

CPI dos Maus-Tratos irá ouvir homem suspeito de golpear cadela com facão na Serra

O homem suspeito de dar golpes de facão na cabeça de uma cadela na Serra será ouvido pela CPI...

Em apenas 24 horas, Serra perde mais 11 moradores para o coronavírus e atinge 967 óbitos

Um dado estarrecedor do pico da pandemia causada pelo coronavírus – em maio de 2020– voltou a assombrar os...

Serra começa a vacinar policiais e guardas municipais contra o coronavírus nesta quarta

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria de Saúde da Serra (Sesa), iniciará a vacinação dos trabalhadores da força...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Ana Paula Bonelli

No meio de tanta desgraça, pelo menos uma notícia razoável para os capixabas.  O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol-ES) decidiu em Assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (9) não entrar em greve, pelo menos por enquanto.  A informação é do presidente da entidade Jorge Emílio Leal.

Emílio disse que a categoria deu prazo de 14 dias para que o Governo do Estado atenda a reivindicação dos Policiais Civis, para que também não parem as atividades, como os Militares na noite do último dia 03. 

“Estamos indignados e insatisfeitos com a realidade vivenciada pelo Espírito Santo. Por isso em respeito à sociedade estamos dando este prazo para o Governo. Se não houver resposta neste período, vamos mobilizar uma greve geral da Polícia Civil no Estado”, ameaça o presidente.

Dentre as reivindicações, melhores condições de trabalho, recursos materiais, revisão salarial anual que, segundo o Sindipol não está sendo cumprida, incorporação da escala especial de 12 horas e o reconhecimento do nível superior da atividade dos agentes de polícia.

“Estamos fazendo isso em respeito à sociedade, que está amargando um preço muito caro (com a greve da PM) e vamos continuar mantendo o diálogo para buscar uma solução para a segurança pública capixaba e toda nossa categoria”, frisa. 

Delegacias podem fechar

Delegacias da Serra, localizadas em bairros considerados violentos, podem ter o atendimento suspenso neste período de greve da Polícia Militar, quando o número de ocorrências está em crescimento.

Segundo o presidente da Associação dos Investigadores de Polícia Civil do Espírito Santo (Assimpol), Júnior Fialho,”serão escolhidas as delegacias sem efetivo e, por questão de segurança, fechando tais unidades, atendendo na Regional, na Serra, ao lado do Terminal de Laranjeiras”.

Ele citou entre as unidades que devem ter o atendimento suspenso André Carloni, Novo Horizonte, Jacaraípe e outras em estudo, que devem ser deslocadas para Laranjeiras. Fialho explicou que o movimento começou nesta semana e que, aos poucos, o atendimento será centralizado em Laranjeiras, ao lado do Terminal Rodoviário.  Na última terça-feira (07), a Delegacia de Jacaraípe foi atacada a tiros por bandidos.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!