• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
29.2 C
Serra
segunda-feira, 18 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

Outono aumenta incidência de asma, pneumonia e alergias

Leia também

Com ajuda da Polícia Militar, prefeitura impede invasão de área da Vale na Serra

O que poderia ser mais uma invasão de terra na Serra foi impedida no último domingo (17) numa ação...

Sem água há 3 dias, moradores da Serra se revoltam e protestam contra a Cesan

Após passar por mais de três dias sem receber uma gota de água nas suas residências, moradores do bairro...

UCL reverterá inscrições no vestibular em doações para grupo de proteção animal de Jacaraípe

A UCL, em Manguinhos, promoverá um vestibular especial pós-Enem, no próximo dia 06 de fevereiro, e os estudantes que...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O tempo seco, característico da época, é um dos fatores que contribuem para o aumento de casos de doenças respiratórias. Foto: Agência Brasil

Basta a temperatura cair um pouquinho para que as doenças respiratórias ataquem com mais força a saúde de muitas pessoas. Tosse, espirros, nariz entupido são apenas alguns dos sintomas que tomam conta da população nas estações mais frias do ano.

Segundo a médica pneumologista e especialista em medicina do Sono, Jéssica Polese, durante o outono e o inverno, doenças como alergia, asma e pneumonia são as mais recorrentes entre os pacientes. O tempo seco, característico da época, também é outro fator que contribui para o aumento de casos de doenças respiratórias.

A alergia de inverno, uma das mais populares, geralmente é causada por baixa imunidade ou pela genética, mas pode ser agravada em pacientes que têm contato com mofo e poeira. “Os sintomas mais comuns são tosse, coriza, irritação nos olhos, na garganta e até mesmo na pele”, elenca Jéssica Polese. Já a asma, outra doença muito comum nessa época, acomete ao menos 20 milhões de brasileiros e causa o congestionamento dos brônquios, impedindo que o ar chegue até os pulmões.

Quem tem crianças e idosos na família deve ficar atento também à pneumonia, já que esses grupos têm mais riscos de desenvolver a doença. Os sintomas mais frequentes são tosse, febre alta, calafrios, palidez e forte dor no tórax, fazendo com que às vezes a doença seja confundida com uma gripe ou resfriado. Mas se não tratada corretamente, a pneumonia pode trazer complicações. “A pneumonia pode atingir os pulmões inteiros ou em partes. Dependendo do grau a que a doença chegue, ela requer uma rápida hospitalização do paciente para o início do tratamento”, explica a especialista.

Entre as dicas para evitar as doenças respiratórias nesse período, a pneumologista Jéssica Polese recomenda evitar locais aglomerados e fechados e beber bastante água para manter o organismo hidratado. Outra recomendação importante é manter a casa sempre limpa. “Pessoas que já possuem problemas respiratórios devem evitar contato com mofo e poeira, por isso é importante higienizar corretamente tapetes, sofás, almofadas, e bichos de pelúcia”, ressalta a médica.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!