25 C
Serra
quarta-feira, 02 de dezembro de 2020

Há seis meses, Cabo Porto e família morriam em acidente de carro

Leia também

Serra poderá ganhar mais uma vaga na Assembleia Legislativa

O resultado da eleição 2020 impactou na composição da Assembleia Legislativa. E com as mudanças a Serra pode alcançar...

Habilitações vencidas em 2020 terão um ano a mais de validade

Está em vigor, a partir de hoje (1º), a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que restabelece os prazos...

Matrículas abertas para novos alunos em creches da Serra

A pandemia causada pelo coronavírus fez com que todas as cidades brasileiras suspendessem as aulas presenciais. Mesmo assim, as...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Porto, a esposa e o filho. Foto: Divulgação

Um acidente trágico e que ceifou, de uma vez só, a vida de três moradores da Serra. No dia 22 de fevereiro, Cabo Porto, juntamente com sua família, embarcava em uma viagem que poucas horas depois iria tirar suas vidas. O ex-vereador do município tinha opiniões firmes e muitas vezes até polêmicas. Além disso, uma das suas principais pautas era o aumento na violência. Porto também tinha um sonho: conseguir viabilizar a construção de um colégio militar na cidade.

Neste sábado (22), completa seis meses do acidente, que aconteceu por volta das 12 horas daquele triste dia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo em que viajavam colidiu frontalmente com uma carreta carregada de sucata na BR-101, em Jaguaré. Logo após o ocorrido, havia poucas informações sobre as vítimas, mas não demorou muito para que a confirmação chegasse: os mortos eram Jucélio Nascimento Porto, de 44 anos; a esposa dele, Thatianni Gonçalves Vasconcelos, 24 anos; e o filho do casal João Vasconcelos Porto, de 4 anos.

Na ocasião, o motorista da carreta, envolvido no acidente, afirmou que o veículo conduzido pelo militar tentou fazer uma ultrapassagem quando o acidente aconteceu. Nesse momento, o carro colidiu frontalmente com a carreta. O velório deles aconteceram na Câmara da Serra e o sepultamento foi no cemitério Jardim da Paz.

Sempre polêmico, Porto tinha um perfil de causar reboliço. Defensor especialmente da classe dos policiais militares, o vereador tinha no DNA a bandeira da segurança pública e era querido, principalmente pela direita capixaba. Natural de Castelândia, em sua trajetória, o vereador foi um dos policiais mais condecorados da corporação e fez fama na grande Jacaraípe pela atuação firme frente à bandidagem.

Filho de mãe solteira, Porto conviveu desde cedo com a violência doméstica vinda do padrasto, o qual expulsou os irmãos mais velhos de casa e fazia sessões de agressão contra a mãe. Revoltado com a situação, aos 16 anos, utilizando um cabo de vassoura, Porto expulsou o padrasto de casa e, em seguida, entrou para a PM, instituição na qual permaneceu por duas décadas até ser eleito como um dos vereadores mais votados em 2016.

Já Thatianni, esposa de Cabo Porto, era servidora comissionada da Assembleia Legislativa. Ela atuava como assessora de controle interno da Casa.

Arena Jacaraípe em sua homenagem 

Na cidade, Cabo Porto foi eternizado com seu nome na Arena Riviera, em Jacaraípe, por meio da Lei 5162/2020. O local, que será inaugurado em breve foi denominada Jucélio Nascimento Porto. A homenagem ao vereador morto em 22 de fevereiro, em um acidente de carro, foi sancionada pelo prefeito Audifax Barcelos (Rede) e publicada no Diário Oficial.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Audifômetro: faltam 30 dias para o fim do governo Audifax na Serra
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!