26.5 C
Serra
domingo, 19 de janeiro de 2020

Alunos preparam terra, plantam e cuidam de horta em escola da Serra

Leia também

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel,...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A iniciativa acontece na escola Eulália Falquetto que já colheu, inclusive, coentro, que foi entregue as merendeiras para ser usado na comida servida para as crianças. Foto: Everton Nunes/Secom-PMS

Coentro, cebolinha, alface, salsa e amendoim. Tudo isso, é colhido na horta da Escola Municipal de Tempo Integral Eulália Falquetto, em Vila Nova de Colares. O detalhe é que o plantio e cuidado com as hortaliças fica por conta dos alunos da instituição que com a atitude estão reforçando inclusive a merenda escolar.

O cultivo acontece no pátio da escola, durante as aulas de Protagonismo. O trabalho começou há alguns meses, com ensinamentos teóricos em sala de aula. Antes de colocar a mão na terra, os alunos tiveram vários ensinamentos sobre preservação do meio ambiente, plantas, tudo isso relacionado com o Programa Valores Humanos, que norteia o trabalho pedagógico da Secretaria de Educação da Serra. As informações são da Prefeitura da Serra.

Os alunos também debateram sobre cuidados com o ambiente da escola e, com ajuda dos familiares, levaram plantas para a sala e começaram a cuidar delas diariamente.

À frente da iniciativa está a professora Ediran Maria Meireles. Na dinâmica, os próprios alunos prepararam a terra, plantaram as sementes e mudas e agora cuidam dos canteiros.

A vontade de trabalhar com a terra surgiu da própria turma. Na escola são oferecidas aulas de protagonismo para todas as turmas e cada uma desenvolve projetos diferentes. Mas a oportunidade de plantar, colher e depois se alimentar daquilo que eles próprios cultivaram encantou os alunos.

O primeiro tempero, o coentro, já foi colhido e teve destino certo: foi entregue para as merendeiras da escola usarem na merenda dos alunos. A expectativa é que no prazo de um a dois meses seja possível colher a alface, amendoim, cebolinha e salsa.

Comentários

Mais notícias

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Acabou o tempo de Audifax | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Yuri Scardini  Está marcado para logo após o Carnaval (final de fevereiro) a revelação do prefeito Audifax Barcelos (Rede) sobre o escolhido para defender...

Apocalipse das águas | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Bruno Lyra Estudo do pesquisador Ângelo Fraga Bernardino, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), confirmou a contaminação crônica por...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!