23.8 C
Serra
terça-feira, 26 de Maio de 2020

CORONAVÍRUS NA SERRA

cidade registra 1.955 infectados, 125 mortos e 613 curados

Abrigo dá apoio e esperança a morador de rua em Jacaraípe

Publicado em:
Atualizado em:

Leia também

Passando a boiada no meio ambiente

A reunião do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com seus ministros em 22 de abril, cujo vídeo foi divulgado...

Índice de isolamento social na Serra não chega a 50%

Apenas 45.12% da população da Serra está respeitando o isolamento social, segundo dados do Painel Covid-19 do Governo do...

Lojas de roupa, sapato, perfumaria e acessórios podem abrir hoje na Serra

Nesta terça-feira (26) devido ao rodízio no comércio para evitar a disseminação do vírus da Covid-19 somente lojas de...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

As assistentes Isaura e Tânia com os acolhidos no abrigo Lindomar, Mauro e Luiz. Foto: Caio Dias

Caio Dias

Agosto é o mês da conscientização sobre a necessidade de ajudar as pessoas em situação de rua. Ainda mais com o aumento de pessoas nesta condição por conta da crise econômica do país e que rebate no estado de forma ainda mais aguda.

Em Jacaraípe, um abrigo cuida de 30 pessoas que não têm onde morar. O abrigo é mantido pela prefeitura há mais de 15 anos e atualmente está sob a gestão da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais).

O abrigo é coordenado pela assistente social Tânia Molaes. “Existe resistência por parte dos moradores de rua. Mas depois que chegam aqui, muitos conseguem emprego e também montar suas próprias casas. O abrigo cuida de pessoas que, além de não ter onde morar, muitas vezes têm problemas de saúde e vícios em drogas e álcool”.

 Foi o que aconteceu com o técnico em agropecuária Luiz Anselmo. Após se separar da esposa, Anselmo foi morar na rua e se entregou ao álcool. Hoje, ele já consegue pequenos trabalhos. “O abrigo é um degrau da escada para sair da rua”, conta.

Também assistente social do abrigo, Isaura Pinho, diz que o espaço é como se fosse a última saída para muitas pessoas. “É gente que muitas vezes sofre rejeição da própria família. Os abrigados recebem alimentação, apoio para reinserção no mercado de trabalho e cuidado com a saúde”, conta.

Lindomar dos Santos é uma das atendidas. Ela foi abandonada pela família, viveu na rua por anos e chegou com problemas na coluna e trombose. Hoje, recebe tratamento de saúde. “Gosto muito de viver aqui”, frisa.

 

Comentários

Mais notícias

Índice de isolamento social na Serra não chega a 50%

Apenas 45.12% da população da Serra está respeitando o isolamento social, segundo dados do Painel Covid-19 do Governo do Estado. O índice é uma...

Lojas de roupa, sapato, perfumaria e acessórios podem abrir hoje na Serra

Nesta terça-feira (26) devido ao rodízio no comércio para evitar a disseminação do vírus da Covid-19 somente lojas de produtos pessoais podem funcionar em...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem