• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados
23.7 C
Serra
sexta-feira, 23 julho - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados

Vendedores ambulantes em ônibus e terminais podem estar com dias contados

Leia também

Supermercado Casagrande multado em R$ 83 mil por fazer loja sem licença em Jacaraípe

A nova loja do supermercado Casagrande em Jacaraípe, prevista para ser inaugurada na semana que vem, foi multada em...

Estudo inglês demonstra que segunda dose de vacinas é essencial contra a variante delta

Mais um estudo demonstra a necessidade da segunda dose da vacina contra a Covid para que a proteção seja...

Gleisi Hoffman vem ao Estado para contribuir na formação de uma frente pró-Lula

  Com o avanço da popularidade de Lula no Espírito Santo e retomada do ex-presidente na preferência dos eleitores capixabas,...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

Prática de vendas de produtos dentro dos ônibus e também nos terminais da Grande Vitória é proibida. Foto: Gabriel Almeida

Quem nunca comprou algo com algum vendedor ambulante em um dos ônibus do sistema Transcol que atire a primeira pedra. A cena já virou algo comum na rotina dos capixabas que utiliza os coletivos para trabalhar ou chegar a algum destino. Os produtos são os mais diferenciados: balas, doces, salgados e até acessórios de aparelhos eletrônicos são oferecidos pelos vendedores para os passageiros.

Mesmo sendo algo comum, a prática de vendas de produtos dentro dos ônibus e também nos terminais da Grande Vitória é proibida e a promessa do Governo do Estado é apertar o cerco ainda mais contra os vendedores que, na maioria das vezes, estão desempregados e utilizam desse meio para garantir o sustento familiar.

É o caso de um vendedor que atua no Terminal de Laranjeiras pela manhã e costuma embarcar nos coletivos na parte da tarde. Ele não quis se identificar por medo de represálias, mas afirma que os seus colegas, assim como ele, estão revoltados com as medidas tomadas pela Ceturb-ES (Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo). “Já estamos com os dias contados. O Governo do Estado já distribui cartilhas para os motoristas e orienta a eles para não deixar a gente entrar nos ônibus. Esse é meu único meio de ganhar pão, vim do Rio de Janeiro, mas não consegui nenhum emprego ainda e pago aluguel na casa onde moro com minha esposa e minhas filhas”, explica.

O ambulante ainda pede ajuda ao governo. “Gostaria que o Governo do Estado cadastrasse a gente e não tirasse a gente dos ônibus e dos terminais. Podia regularizar e se fosse para pagar alguma taxa a gente até aceitaria. Só queremos trabalhar”, afirma.

A Ceturb-ES confirmou por meio de nota enviada para a redação do Tempo Novo na tarde desta terça-feira (19) que está apertando o cerco contra os vendedores ambulantes. Disse que o órgão “faz o combate a vendedores ambulantes de forma constante nos terminais do Transcol, onde tal prática não é permitida, segundo o regulamento dos terminais”. Ainda finalizou a nota ratificando a proibição da prática.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!