Sindicato não colocou 75% dos ônibus do Transcol nas ruas, diz Ceturb

0
Sindicato não colocou 75% dos ônibus do Transcol nas ruas, diz Ceturb
Determinação Judicial diz que sindicato deve colocar 75% dos ônibus em circulação. Foto: Gabriel Almeida

Por conta de uma determinação Judicial, o Sindicato dos Rodoviários deveria colocar 75% da frota dos coletivos do Transcol nas ruas da Grande Vitória durante a greve desta terça-feira (13), mas de acordo com a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb), o Sindirodoviários não cumpriu a liminar e os usuários ficaram prejudicados.

Segundo a companhia, “ficou claro que o Sindirodoviários não cumpriu a decisão da Justiça” e no período de maior pico, a média de cumprimento não passou de 58,8%, o que significa que houve descumprimento de determinação Judicial. Vale destacar que caso os rodoviários não cumpram a decisão, o sindicato pode ser multado em até R$ 200 mil.

“A Ceturb-ES informa que após o fechamento do monitoramento do relatório de frota operante em circulação na hora pico na manhã desta terça-feira (13), ficou claro que o Sindirodoviários não cumpriu a decisão da Justiça. No período de maior pico, a média de cumprimento não passou de 58,8%, caracterizando o descumprimento de determinação”, disse a Ceturb por meio de nota que foi enviada para o TEMPO NOVO.

Ainda de acordo com a companhia, pela manhã, apenas o ‘Consórcio Sudoeste’ cumpriu o estabelecido, na faixa horária de 7h às 8h. “A Companhia continua monitorando o sistema para verificar os percentuais de frota na rua”, garante.

Sindicato não colocou 75% dos ônibus do Transcol nas ruas, diz Ceturb
Ponto de José de Anchieta. Foto: Gabriel Almeida / Arquivo TN

Passageiros reclamam de falta de ônibus em bairros da Serra

Com a greve dos rodoviários, os serranos estão tendo mais dificuldades para conseguir embarcar em um coletivo, já que somente 75% dos ônibus do Transcol estão circulando nesta terça-feira (13). 

Em Porto Canoa, a reclamação veio do Everton Schneider, que mora na comunidade e afirma que os ônibus estão passando com muito atraso no bairro e superlotados. “Em alguns bairros não tem ônibus. Eu moro em Porto Canoa e as linhas que estão passando por lá estão superlotadas. Outras bem estão passando como a 816 e a 812. Os expressos também estão parados”, conta o morador.

De Cidade Continental, Mônica Nogueira, também reclama. “Na minha comunidade passou ônibus de manhã cedo, agora já não está circulando mais”, afirma a popular. Já no Centro da Serra, segundo a moradora Simone Avelina, não está passando nenhum ônibus. “Eu moro no Centro da Serra e aqui não tem ônibus circulando”, disse.

Adriana Rocha, de Nova Carapina I, disse que em sua comunidade está muito difícil embarcar em um coletivo. “Não tem nem 30% em Nova Carapina I e demora mais de horas para passar”, relata. 

Sindicato prometeu que 75% dos ônibus do Transcol iriam circular

A semana começou complicada para os capixabas que dependem do transporte público. Isso porque os rodoviários decidiram realizar uma greve contra a implantação dos novos ônibus sem cobradores e paralisaram toda a frota dos coletivos do Transcol na última segunda-feira (12). Nesta terça (13), a greve continua, mas têm ônibus circulando nas ruas.

Em uma assembleia realizada de ontem (12), os rodoviários decidiram manter a greve. Apesar disso, a categoria garantiu que vai acatar a decisão Judicial de manter 75% dos coletivos em circulação para atender os passageiros capixabas. O TEMPO NOVO tentou contato com o presidente do sindicato, José Carlos Salles, para ele comentar sobre a nota da Ceturb, mas o sindicalista não atendeu as ligações.

Sindicato não colocou 75% dos ônibus do Transcol nas ruas, diz Ceturb
Garagem da Unimar que fica em Laranjeiras Velha: nenhum ônibus saiu do local na última segunda-feira (12). Foto: Gabriel Almeida

Motivo da greve

A ameaça de greve já tinha sido anunciada na terça-feira (6) passada, mas o sindicato não tinha definido um dia para a greve acontecer. O motivo da manifestação é a implantação dos novos ônibus do Transcol que terão ar-condicionado, mas não haverá cabine para os cobradores.

Apesar do Governo do Estado afirmar que não haverá nenhuma demissão por conta dos novos coletivos, o Sindirodoviários diz que serão quatro mil postos de trabalho eliminados com a mudança.

Na tarde da última sexta-feira (9), através do seu perfil oficial do Facebook, o Sindirodoviários publicou um comunicado informando sobre a greve. “Sem cobrador não roda. Vamos parar tudo”, afirma os rodoviários na imagem publicada.

Em junho, o Governo do Estado anunciou os novos ônibus com ar-condicionado e sem a cabine dos cobradores, até o momento, foram entregues 20 destes novos veículos, mas nenhum deles está em circulação. Nesta sexta-feira (9), o Estado anunciou que os coletivos iriam começar a circular na segunda-feira (12), o que não aconteceu por causa da paralisação.

Ainda em junho, após a entrega dos ônibus, o Sindirodoviários já tinha prometido uma greve contra a mudança. Vale destacar que o Sindirodoviários fez três manifestações em junho, mas a circulação dos coletivos não foi prejudicada. Os protestos foram realizados na Avenida Vitória, na capital capixaba.

Comentários