• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
23.7 C
Serra
segunda-feira, 18 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

IPS não faz aplicações financeiras em bancos privados, afirma presidente

Leia também

Profissionais de saúde de hospital da Serra serão vacinados às 17 horas desta segunda

Funcionários que trabalham no Hospital Dr. Jayme dos Santos Neves, em Morada de Laranjeiras, na Serra, serão vacinados contra...

Oportunidade! Empresas abrem 173 vagas de emprego para moradores da Serra

Empresas da Serra abriram, nesta segunda-feira (18), 173 vagas de emprego com preferência para moradores da cidade. As oportunidades...

Casagrande diz que vacinação contra o coronavírus pode começar nesta segunda

Com o início da campanha de vacinação contra o coronavírus cada vez mais próximo, o governador do Espírito Santo,...
Eci Scardini
Fundador do Jornal Tempo Novo, Eci Scardini também escreve para editorias do portal.

O Instituto de Previdência dos Servidores do Município da Serra fica na Serra sede. Foto: Divulgação

O presidente do Instituto de Previdência da Serra – IPS, Evilasio Ângelo contestou de forma categórica, afirmações do presidente do Sindicato dos Servidores da Serra – Sermus, Oswaldino Luiz Marinho, publicadas no último dia 20, como conteúdo pago no portaltemponovo.com.br, de que o órgão esteja fazendo aplicações financeiras em rede bancária privada, demonstrando total desconhecimento na área de mercado de capitais e da legislação pertinente.

Veja a nota do IPS na íntegra:
“O IPS não usa de tal expediente e que todos os recursos financeiros da instituição são aplicados na rede bancária pública, atendendo a uma determinação do prefeito Audifax, e seguida a risca, mesmo que as taxas de retorno ofertadas pela rede privada sejam mais atraentes.
O IPS possui em seu corpo técnico, um Comitê de Investimentos, devidamente capacitado e certificado com as qualificações técnicas ( CPA 10, CPA 20 e CEA) para todos os membros. Todas as decisões passam pelo crivo desse corpo técnico que é formado por servidores efetivos de carreira e as decisões sobre investimentos são realizadas com base na legislação 3922/10, art 7, l, a, do Conselho Monetário Nacional – CMN.
Para que o IPS tivesse acesso a aquisição de Títulos Públicos Federais, foi necessário um processo licitatório para o serviço de custódia qualificada ganho pela Uniletra Corretora. O artigo 7º da resolução 3922, prevê que os RPPS possam investir em até 100% dos recursos nesse produto de renda fixa, pois o Título público é o investimento mais seguro que há no mercado financeiro, possuindo o Risco Brasil ( só terá prejuízo financeiro se o Brasil quebrar ), e estão registrados no Sistema de Liquidação e Custódia do Banco Central do Brasil – SELIC.
O fechamento da Uniletra corretora, não trouxe prejuízo algum ao IPS, pois os recursos não estão na corretora. Ela é simplesmente um agente do mercado financeiro em que o RPPS necessita para ter acesso ao mercado de Títulos Públicos Federais. Os títulos estão em nome e CNPJ do IPS na Selic.
Em relação ao ocorrido em 2012, é totalmente diferente, pois os recursos não foram investidos em fundo de investimentos, mas na compra de papéis do governo federal emitidos pelo Tesouro Nacional e Registrado no Selic (Clearing do Banco Central do Brasil)”. Finalizou.

Eci Scardini
Fundador do Jornal Tempo Novo, Eci Scardini também escreve para editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!