22.5 C
Serra
quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

Leia também

Quer emprego? Empresas abrem 140 vagas de trabalho nesta quarta na Serra

Quem está procurando uma oportunidade de trabalho deve ficar atento. Isso porque várias empresas abriram vagas de emprego nesta...

PP oficializa pré-candidatura de Luciana Malini à Prefeitura da Serra

"Somos a mudança". Esse é o mote da pré-candidatura do PP à Prefeitura da Serra. A legenda aposta na...

Operação policial integrada gerou 30 autos de infração de trânsito na Serra

Um acusado de homicídio foi detido na manhã desta terça-feira (11) durante a Operação Vulcano, parceria da Prefeitura da...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do acompanhante), que alterou a lei nº 8.080/1990, garantindo também acompanhamento durante todo o período de trabalho de parto e no pós-parto.

Foi acrescido o Capítulo VII “Do Subsistema de Acompanhamento durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato”, e o artigo 19-J:

Art. 19-J. Os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde – SUS, da rede própria ou conveniada, ficam obrigados a permitir a presença, junto à parturiente, de 1 (um) acompanhante durante todo o período de trabalho de parto, parto e pós-parto imediato.

  • 1º O acompanhante de que trata o caput deste artigo será indicado pela parturiente.
  • 2º As ações destinadas a viabilizar o pleno exercício dos direitos de que trata este artigo constarão do regulamento da lei, a ser elaborado pelo órgão competente do Poder Executivo.

Apesar de ser um direito garantido à gestante desde 2005, surge o questionamento sobre como, e se, tal direito é compatível com as regras de isolamento e distanciamento social.

Vale ressaltar que aqui no município de Serra encontram-se as maiores unidades de referência para o tratamento da covid-19, estando os hospitais Jaime dos Santos Neves, Dório Silva e a UPA de Castelândia quase que totalmente voltadas para esse fim.

Assim, não é descabido o questionamento sobre a manutenção de um direito a acompanhante que pode ser percebido, por muitos, como não essencial, quando se busca por todos os meios minimizar o fluxo de pessoas em toda parte, especialmente dentro das unidades de saúde.

Neste sentido, no começo da quarentena, várias foram as unidades de saúde que mitigaram a participação de acompanhantes nas salas de parto, sendo que em meados de março, a Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (SOGIMIG), por exemplo, soltou nota orientando a restrição de doulas e demais acompanhantes, estimulando a participação virtual.

Já a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, enviou recomendação para que os municípios fluminenses garantam o direito a acompanhante durante o parto e demais etapas de parto e pós-parto.

Diz a recomendação que:

“É fundamental compatibilizar as medidas de restrição, para evitar a propagação do coronavírus, aos princípios da humanização do parto e do nascimento, preservando os direitos das gestantes e a sua autonomia de vontade no momento do parto. Por ora, não há recomendação técnica que flexibilize o direito da gestante ao acompanhamento durante o parto e pós-parto”.

O Poder Judiciário foi chamado a se manifestar sobre o tema, tendo o Tribunal de Justiça de Mato grosso do Sul, na pessoa do Desembargador Relator Alexandre Bastos reformado decisão de 1ª instância, garantindo o referido direito em caso julgado em maio de 2020.

Assim, vem sendo consolidado o entendimento jurisprudencial que é possível a participação de acompanhante em todas as fases do parto com as devidas cautelas. Embora haja discordâncias pontuais em alguns estados e municípios, por conta das diferenças entre notas técnicas que discordam do Ministério da Saúde.

 

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

PP oficializa pré-candidatura de Luciana Malini à Prefeitura da Serra

"Somos a mudança". Esse é o mote da pré-candidatura do PP à Prefeitura da Serra. A legenda aposta na experiência e na sensibilidade de...

Operação policial integrada gerou 30 autos de infração de trânsito na Serra

Um acusado de homicídio foi detido na manhã desta terça-feira (11) durante a Operação Vulcano, parceria da Prefeitura da Serra com o Corpo de...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!