Cachorros abandonados se reproduzem em ruas e praias da Serra

0

Por Ana Paula Bonelli

Tanto em Bicanga, quanto em Balneário Carapebus é comum ver cenas como esta nas areias da praias. Foto: Arquivo TN
Tanto em Bicanga, quanto em Balneário Carapebus é comum ver cenas como esta nas areias da praias. Foto: Arquivo TN

Há cada vez mais cães nas ruas de Bicanca, Manguinhos e Carapebus. Uma triste realidade que não faz sofrer apenas os animais, mas também os seres humanos pelo risco à saúde pública. O pior é que os bichos também circulam pela areia das praias.

De Balneário Carapebus, Humberto Salla, cuida em sua casa de 20 cães resgatados das ruas, além de alimentar diariamente de mais de 10 cachorros que se amontoam à tarde em frente a sua residência aguardando comida.

“Sei que se alimentá-los vão ficar com fome. Aqui nesta região são mais de 100 cães abandonados e maltratados. O poder público precisa fazer alguma coisa para mudar isso. Os protetores de animaisprestam um excelente serviço à saúde pública. Resgatamos animais doentes, feridos, cuidamos e doamos. Poderiam estar por aí, transmitindo doenças. Mas, em muitos casos, agimos”.

Humberto sugere ainda que uma das soluções para diminuir a superpopulação de animais é a castração. “Se estiverem soltos, porém, castrados, não procriarão. Campanhas de adoção responsável também seriam de grande importância”, acrescenta.

Moradora de Bicanga, Rosalba Benevides também está preocupada com a situação. “São animais doentes, cadelas no cio, ninhadas indesejadas. Adoro cachorro, sempre alimento, mas é o que posso fazer. Penso que se a Prefeitura castrasse esses animais o problema diminuiria. O CCZ da Serra não adianta nem acionar, eles não fazem nada. Se ligar falando de animal doente, eles não recolhem, apesar de dizerem o contrário”, reclama a comerciante.

Morador de Balneário Carapebus, Eduardo Pereira, diz que há casos de pessoas que adoeceram. “Os cães circulam em grupo, às vezes dez a quinze. Alguns sadios e outros bem doentes com sarna, bicheira, peladeira. Estão nas ruas e nas areias da praia. Penso que a castração em massa seria o pontapé para começar a diminuir a superpopulação de animais. Aqui conheço diversas pessoas que pegaram bicho de pé”, aponta.

Recolhimento e castração

A assessoria de imprensa da prefeitura da Serra disse que a Vigilância Ambiental em Saúde, por meio do Setor de Controle Animal, realiza a remoção seletiva de animais de rua. São recolhidos cães em estado terminal, atropelados, agressores e fêmeas no cio. As solicitações para recolhimento de animais nessas condições deve ser pedida no telefone 3281-9288.

A assessoria falou também que o município faz castração. Para solicitá-lo, o munícipe deve realizar o cadastro pessoalmente na Vigilância Ambiental em Saúde, localizada na Rodovia ES 010, apresentando documento de identidade, CPF, comprovante de residência e carteirinha de vacinação do animal.

Levantamento feito pela prefeitura aponta que em 2013 havia cerca de 61 mil cães na cidade, sendo 12,7 mil em situação de rua.

Comentários