23.7 C
Serra
sexta-feira, 10 de abril de 2020

Vereadores se mobilizam e querem parceira da Cesan fora da Serra

Leia também

Império de Fátima vai doar cestas básicas para circos e máscaras para unidades de saúde da Serra

A escola de samba Império de Fátima se mobilizou para ajudar famílias carentes e artistas circenses da Serra. A agremiação...

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Os vereadores Xambinho, Nacib e Caldeira querem a saída do consórcio, que é presidido desde o fim de 2016, por Reginalva Mureb. Foto: Arquivo TN

Poluição causada por esgoto, mortandade de peixes, falta de investimento e recapeamento asfáltico mal feito. Estes são alguns dos questionamentos que motivaram 20 vereadores da Serra a assinar um projeto de lei (PL 134/2017), protocolado nesta semana, que pede a revogação da Lei 4.010, que institui o Plano Municipal de Saneamento Básico. Esta Lei autorizou o município a fazer concessão dos serviços de coleta e tratamento de esgoto, que hoje é feita através de uma PPP (Parceria Público Privada) entre a Cesan e o Consórcio Serra Ambiental. Na prática os vereadores querem o fim da parceria.

Em vigência desde 2013, os serviços prestados pelo Serra Ambiental vêm sendo objeto de muita discussão, inclusive, em 2016 uma CPI foi aberta na Câmara da Serra para investigar os trabalhos do consórcio. Recentemente a Prefeitura encomendou uma análise das águas da Lagoa Juara, que vem sofrendo com um ciclo de mortandade de peixes. A análise revelou que a causa da mortandade tem a ver com o alto índice de esgoto sem tratamento lançado na lagoa.

O vereador Rodrigo Caldeira (Rede) defende a necessidade de rever o contrato e critica a taxa de esgoto cobrando na conta de água do morador da Serra. “Estão cobrando 80% de taxa da população, na conta de água, mas cortam asfalto e não consertam e o pior, fazem recolhimento de esgoto e jogando in natura nas lagoas Temos que rever essa concessão”, frisou.

Já o vereador Nacib Haddad (PDT) diz que vai solicitar à Prefeitura da Serra cópia do contrato da PPP e verificar as possibilidades de punição contra o Serra Ambiental. “O serviço não está a contento e o que foi prometido não foi feito. Vamos derrubar a lei e acredito que vai entrar na Justiça. Vamos estudar o contrato para avaliar o que faremos a seguir”, adiantou.

Outro crítico dos serviços prestados pelo Serra Ambiental é o vereador Alexandre Xambinho (Rede). “São quatro anos de contrato com a Serra Ambiental e até o presente momento, não vimos melhoria no sistema de saneamento da cidade, muito pelo contrário, temos poluição nas lagoas, mortandade de peixes e índices de coliformes fiscais elevados. Por isso queremos revogar a Lei 4.010”.

 

 

Comentários

Mais notícias

Três secretários de Audifax devem disputar as eleições municipais em outubro

  A Prefeitura da Serra confirmou a desincompatibilização dos secretários Igor Elson B. de Almeida e Elcimara Rangel dos cargos de secretário de Serviços e de...

Número de casos confirmados da Covid-19 sobe para 300 no Espírito Santo

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo aumentou. De acordo com a última atualização divulgada pela Secretaria de Estado da...

Serra tem 11 novos casos de coronavírus e registra 64 pacientes contaminados

Em 24 horas, a Serra teve um aumento significativo no número de casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com a última atualização divulgada pela...

Novos partidos alteram o tabuleiro no plenário da Câmara da Serra

Os sem-partido Os vereadores passaram um perrengue nos últimos dias do prazo para filiação partidária para quem tem mandato, 3 de abril. Após o corre-corre,...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem