Teatro e música são ferramentas de inclusão na Apae

0
Teatro e música são ferramentas de inclusão na Apae
Atendidos pela instituição encenam peça com participação dos familiares. Foto: Michael Vieira

Inclusão social por meio da arte. Esse é o objetivo do projeto ‘Abram as Cortinas’ que atende mais de 152 usuários com autismo, deficiência intelectual e múltipla, além de jovens com síndrome de down com idade acima de 18 anos. São oferecidas oficina de teatro, musicalização e expressão corporal para auxiliar no crescimento intelectual.

As atividades acontecem pelo terceiro ano consecutivo no Centro de Convivência da Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais da Serra.

A frente do projeto está a atriz e pedagoga Joelma Neves, que juntamente com o professor de música Igor Guimarães, tem feito o programa dar certo. Segundo Joelma tanto professores, diretores da entidade e especialmente os pais, já têm conseguido notar melhora no comportamento dos envolvidos no curso.

A temática deste ano é ‘Eu sou Extraordinário’ e vem com novidade, pois conta com a participação especial de artistas convidados de forma voluntária. “Nossos usuários são os protagonistas sempre. Vivemos em um mundo no qual muita gente vive impondo limites a si mesmo, e assim não enxerga o próprio potencial. Todos nós ansiamos por ver coisas extraordinárias, experimentar uma vida extraordinária, fazer coisas extraordinárias, aquilo que supera até a nossa realidade. É com esse lema que trabalhamos”, explica a atriz.

Em janeiro, o projeto recebeu a visita dos artistas da West Gave, Ivonei Frainer e do ator Savio Cezana, que imita a Dona Hermínia do espetáculo ‘Minha mãe é uma peça’, sucesso nacional. “Trabalhamos também em parceria com os pais nas aulas de improviso do teatro, onde pai e filho contracenam. Tivemos uma experiência entre o Bruno, que é um usuário do Centro de Vivência e o pai dele. Cada um fez o papel de médico e paciente. Foi extraordinário”, frisa.

Joelma conta ainda que outras atividades também são inseridas no programa, como contação de história. “Eu fico com os jogos teatrais e o Igor Guimarães com a musicalização dos alunos. Nosso principal objetivo é trabalhar a autonomia, a autoria, cooperação, desinibição, a responsabilidade e principalmente a criatividade. O teatro contribui para tornar os indivíduos mais sensíveis, criativos, comunicativos felizes e estimula a parceria e o coletivo, respeitando sempre o processo individual de cada pessoa com suas características, habilidades e competências. Através dessa experiência é possível desenvolver as capacidades emocionais, intelectuais, criativas e produtivas do ser humano”, destaca Joelma.

Na oficina os alunos participam de atividades dinâmicas, práticas e lúdicas. Os alunos realizam o exercício do faz de conta, imaginar ser o outro e criam situações imaginárias. A Apae da Serra fica na rua Afonso Arinos Melo Franco, 133 – Parque Res. Laranjeiras. Informações pelo telefone 3298-3000.

 

Comentários