15.8 C
Serra
sexta-feira, 29 de Maio de 2020

Secretário de Saúde fala sobre nova virose transmitida pelo Aedes aegypti

Leia também

Indústria cobra e Estado diz que está liberando crédito para empresas

Nesta quinta-feira (28) a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) divulgou carta aberta em que cobra o governo...

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

O zika vírus é transmitido pelo mesmo mosquito da dengue, o aedes aegypt. Foto: Divulgação / Ministério da Saúde
O zika vírus é transmitido pelo mesmo mosquito da dengue, o aedes aegypt. Foto: Divulgação / Ministério da Saúde

O secretário municipal de Saúde (Sesa), Luiz Carlos Reblin, afirmou na noite desta segunda-feira (21), na Câmara da Serra, que existem registros de uma nova virose, originada a partir do mosquito Aedes aegypti, cujos dados estão sendo analisados no Brasil. Trata-se do nyong-nyong, que viria a se somar a outros males transmitidos pelo mosquito.

“Tem uma informação ainda não confirmada de uma quarta virose que estaria circulando no Centro Oeste brasileiro, chama-se nyong-nyong, que também causa inflamação das articulações. Mas ainda não temos outros dados oficiais a respeito”, disse o secretário.

Reblin usou a tribuna da Câmara para falar sobre as ações da Sesa para o combate ao mosquito, que transmite a dengue, zika e chikungunya. Ele atendeu ao convite do vereador Aldair Xavier (PTB), presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara da Serra.

Reblin acrescentou que não é possível fazer em laboratório o diagnóstico das três doenças. “Não temos ainda tecnologia para chikungunya e zika no Brasil. Qualquer caso que apresente os sintomas será tratado como dengue”, explicou.

O secretário falou sobre número de registros da dengue em 2015, na Serra. Foram notificados 4.172 este ano, contra 4.936 em 2014. Disse que foram registradas 28 mortes por dengue no Espírito Santo em 2015.

Segundo ele, o Brasil tem notificados 2.401 casos de microcefalia; 29 óbitos já confirmados e outros sob investigação. No Espírito Santo 18 bebês notificados por microcefalia, 9 municípios têm notificação pela doença; 14 já têm confirmação. “Na Serra temos um caso de uma pessoa que morava em Guarapari. É registrado como Serra, mas é um caso importado”, esclareceu.

Reblin disse que há 48 casos suspeitos de zika no município. No momento apenas Vitória e Vila Velha confirmaram casos da doença.

O secretário falou sobre ações educativas, carro fumacê (um total de 3), participação do Exército na cidade durante o verão e outras que visam ampliar a capacidade de realizar visitas e buscas aos focos do mosquito no território da Serra.

Após a apresentação, o secretário passou a responder as perguntas dos vereadores.

 

 

Comentários

Mais notícias

Queima de pneus todos os dias incomoda moradores de bairro da Serra

Na região de Feu Rosa e uma parte de Portal de Jacaraípe a reclamação é a fumaça gerada pela insistente queima de pneus que...

Covid-19 também provoca epidemia de desemprego na Serra

Locomotiva econômica e município de maior população do ES, a Serra é a cidade com mais demissões nesta pandemia de coronavírus. Em abril, 5.605...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!