22.1 C
Serra
sábado, 15 de agosto de 2020

Saiba o que é e como funciona o Conselho Tutelar na Serra

Leia também

Audifax diz que obra da rotatória de Maringá será entregue nos próximos dias

Após não cumprir a promessa de entregar a obra da Rotatória de Maringá no final de julho, a Prefeitura...

Morador cobra sinalização de ruas em Barcelona há um ano

Faixas de pedestre apagadas, quebra molas e vagas prioritárias de idosos e  deficientes físicos sem pintura, e ausência de...

Morador da Serra pega coronavírus pela segunda vez e fica internado na UTI

Quando o paciente é infectado pelo coronavírus e consegue vencer a doença, logo acredita estar imunizado contra o vírus,...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Na Serra, são 20 conselheiros atuando em quatro regionais. Foto: Edson Reis

Você sabe qual é o trabalho do Conselho Tutelar? Para quem não sabe, é um órgão público que foi criado em 1990, junto com o Estatuto da Criança e do Adolescente e tem o objetivo de garantir os direitos dos mesmos em todas as esferas da sociedade. Na Serra, são 20 conselheiros atuando em quatro regionais.

Para explicar melhor o papel da entidade, a conselheira tutelar, Ana Cláudia Reis explica como e quando o Conselho Tutelar pode agir e como as pessoas podem ajudar denunciando casos de abuso. “Quando uma criança ou adolescente tiver seu direito ameaçado ou violado, situação que a ponha em risco ou algo que a impeça de usufruir de seus direitos, como exemplo, a oferta irregular de vagas no ensino fundamental e a dificuldade de acessos às consultas de especialidades podemos entrar em ação para ajudar”, destaca ela.

O Conselho Tutelar também é um importante canal para recebimento de denúncias de violências praticadas contra crianças e adolescentes.

A conselheira tutelar, Ana Cláudia Reis falou sobre o trabalho do Conselho Tutelar. Foto: Edson Reis

Na Serra, Ana Cláudia, destaca alguns casos que o Conselho precisou atuar. Um deles foi a noite, por meio de denúncia. “Relataram que um pai e uma mãe, usuários de drogas, estariam vivendo em uma barraca improvisada num matagal em Central Carapina, com um bebê de poucos meses. Com apoio da Polícia Militar e de alguns moradores, resgatamos o bebê, que não tinha condições de ficar com nenhum outro parente e encaminhamos para um abrigo e depois para adoção”.

Outros casos como de uma menina de 10 anos, que foi expulsa da sala de aula por uma professora  que se recusava a lecionar para ela por achá-la “incapaz de aprender”, até um recém-nascido encontrado na calçada em Central Carapina ainda com cordão umbilical fazem parte de situações que o Conselho convive em seu dia a dia na Serra.

Na Serra, denúncias de maus-tratos contra crianças e adolescentes podem ser feitas pelo telefone

Serviço

Conselho Tutelar da Serra

Regional Serra-Sede – 3291-4854

Regional Manoel Plaza – 3328-1899

Regional Laranjeiras – 3328-7128

Regional Jacaraípe – 3252-7022.

Plantão noturno, fins de semana e feriados – 99849-6245.

Abaixo, doze atribuições que são conferidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente:

Atender crianças e adolescentes e aplicar medidas de proteção.

Atender e aconselhar os pais ou responsável e aplicar medidas pertinentes previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Promover a execução de suas decisões, podendo requisitar serviços públicos e entrar na Justiça quando alguém, injustificadamente, descumprir suas decisões.

Levar ao conhecimento do Ministério Público, fatos que o Estatuto tenha como infração administrativa ou penal.

Encaminhar à Justiça os casos que a ela são pertinentes.

Tomar providências para que sejam cumpridas as medidas sócio-educativas aplicadas pela Justiça a adolescentes infratores.

Expedir notificações em casos de sua competência.

Requisitar certidões de nascimento e de óbito de crianças e adolescentes, quando necessário.

Assessorar o Poder Executivo local na elaboração da proposta orçamental para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente.

Entrar na Justiça, em nome das pessoas e das famílias, para que estas se defendam de programas de rádio e televisão que contrariem princípios constitucionais bem como de propaganda de produtos, práticas e serviços que possam ser nocivos à saúde e ao meio ambiente.

Levar ao Ministério Público, casos que demandam ações judiciais de perda ou suspensão do poder familiar.

Fiscalizar as entidades governamentais e não governamentais que executem programas de proteção e sócio-educativos.

 

 

 

 

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Morador cobra sinalização de ruas em Barcelona há um ano

Faixas de pedestre apagadas, quebra molas e vagas prioritárias de idosos e  deficientes físicos sem pintura, e ausência de faixa divisora de fluxo de...

Morador da Serra pega coronavírus pela segunda vez e fica internado na UTI

Quando o paciente é infectado pelo coronavírus e consegue vencer a doença, logo acredita estar imunizado contra o vírus, mas não foi isso que...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!