22.3 C
Serra
quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Reunião termina sem acordo e greve dos rodoviários continua  

Leia também

“Vidigal expulsou vereadores do PDT para acomodar o filho na chapa para 2020”, denuncia Fábio Duarte

Após amargar a retirada do seu nome do quadro de filiados do PDT, o vereador Fabio Duarte (sem partido)...

Lideranças partidárias da Serra acham improvável a aliança PDT/Rede/PV/PSB nas eleições 2020

Lideranças partidárias do Espírito Santo acham pouco provável uma aliança entre Rede, PDT, PSB e PV, conforme declarou Ciro...

Capixabas participam da convenção do partido de Bolsonaro, em Brasília

Um grupo de capixabas está em Brasília para participar da primeira convenção do Aliança pelo Brasil, partido do presidente...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Os rodoviários não aceitaram a nova proposta apresentada na tarde de hoje (3). Foto: Agência Brasil

A reunião de conciliação entre rodoviários e empresários que aconteceu na tarde desta segunda-feira (3) terminou sem acordo. As empresas do ramo apresentaram uma nova proposta para os trabalhadores, que não aceitaram. A greve continua por tempo indeterminado.

Os rodoviários pedem um reajuste de 4%, enquanto as empresas apresentaram a proposta de 3% de reajuste salarial, no ticket de alimentação e plano de saúde. A reunião durou pouco mais de 10 minutos.

Enquanto um acordo não é feito entre as partes, os rodoviários continuam obedecendo a determinação do Tribunal Regional do Trabalho de circular 70% da frota dos ônibus em horários de pico (das 6h às 9h e das 17h às 20h) e 50% nos demais horários.

Caso a liminar seja descumprida, será aplicada multa diária de R$ 200 mil. Na última sexta-feira (30), o TRT-ES tinha realizado uma tentativa de conciliação, mas a proposta apresentada na ocasião também tinha sido negada. Uma nova reunião está sendo marcada para as 16h desta segunda-feira (3).

Através de nota, o GVBus disse que os rodoviários pediram um reajuste que, somando salários e benefícios, superaria 8%. Só para o tíquete refeição, por exemplo, os profissionais solicitaram aumento de 9,34%. Dessa forma, em contrapartida, as empresas propuseram adicionar à proposta de reajuste de salário feita na última sexta-feira, de 3% a partir de janeiro, um aumento também de 3% no tíquete refeição, no plano de saúde e no seguro de vida. Ou seja, 3% de aumento nos salários e mais 3% de reajuste nos benefícios sociais.

O GVBus ainda disse que está à disposição para voltar à mesa ainda hoje se preciso, para discutir uma proposta que seja factível diante da situação econômica pela qual passa as empresas do setor.

Propostas anteriores 

Na semana passada, antes do Sindirodoviários fazer a publicação do edital da greve, os empresários apresentaram uma proposta de reajuste de 2% que foi negada pelos funcionários. Já na sexta-feira (30), a GVBus tinha apresentado mais uma proposta, desta vez reajuste nos salários de 3%, sem mudança no ticket e no plano de saúde.

Segundo informações de rodoviários, a categoria pede 4% de reajuste no salário, R$2,50 a mais por dia no ticket e plano de saúde integral.

GVBus afirma que está fiscalizando saída dos ônibus nas garagens

Para garantir a circulação da frota determinada pela Justiça, o GVBus está nas garagens dos ônibus fiscalizando a saída dos coletivos e afirma que a qualquer sinal de que a liminar não esteja sendo cumprida, irá tomar todas as providências cabíveis.

Além do GVBus, a Polícia Militar também está atuando desde as 4h da manhã desta segunda em todos os terminais e garagens de ônibus da Grande Vitória para garantir a circulação da frota definida pela Justiça. De acordo com a assessoria de comunicação do GVBus, as empresas sempre estiveram dispostas a negociar com os trabalhadores, já que o transporte público é um serviço essencial para a população, que não pode ser prejudicada. Leia mais clicando aqui. 

Comentários

Mais notícias

Lideranças partidárias da Serra acham improvável a aliança PDT/Rede/PV/PSB nas eleições 2020

Lideranças partidárias do Espírito Santo acham pouco provável uma aliança entre Rede, PDT, PSB e PV, conforme declarou Ciro Gomes, líder do PDT, para...

Capixabas participam da convenção do partido de Bolsonaro, em Brasília

Um grupo de capixabas está em Brasília para participar da primeira convenção do Aliança pelo Brasil, partido do presidente da República, Jair Bolsonaro. O...

Serranos participam de seletiva de Vôlei Adaptado em Vitória

Eles têm 50, 60 e até 70 anos, mas, com uma vitalidade de dar inveja em muito marmanjo por aí. Esses são os vovôs...

Ministério público pede perda de mandato e de direitos políticos para Geraldinho Feu Rosa

Vereador de primeiro mandato, Geraldinho pode ter que ficar cinco anos sem disputar as eleições

Você também pode ler

Comentários
javascript:void(0)
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!