25 C
Serra
quinta-feira, 04 de junho de 2020

PSL declina e descarta lançar candidato a prefeito na Serra

Leia também

Serra só terá lockdown se municípios vizinhos também adotarem medida

Com o aumento no número de moradores infectados e mortos pelo coronavírus, a Prefeitura da Serra está estudando a...

Novo condomínio na Serra vai gerar 200 empregos e R$ 20 milhões em investimento

Mesmo com a crise econômica gerada pela pandemia da covid-19  a construtora Morar mantém os planos de lançar um...

Foragido há cinco anos de Minas Gerais é preso na Serra pela Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (4) na região de Balneário Carapebus, na Serra, indivíduo acusado de...
Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é o editor de política do Tempo Novo. Além de sua área, o jornalista, escreve para outras editorias do portal.

Carlos Manato em campanha eleitoral ao lado de Bolsonaro. Foto: divulgação

O PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, declinou da ideia de lançar candidatura a prefeito na Serra. O partido vinha se articulando com tal objetivo, no entanto, o racha a nível nacional fragilizou a sigla e dividiu a militância bolsonarista, acarretando em dificuldades de mobilização nos municípios, entre eles a Serra, que em termos populacionais está entre as 40 maiores cidades do Brasil.

Além disso, outro fator contribuiu para o declínio da candidatura própria: a aliança partidária entre o PSDB – presidido em nível estadual pelo deputado Vandinho Leite; e o Republicanos (antigo PRB), liderado pelo deputado Amaro Neto e pelo presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso.

“Já decidimos as pré-candidaturas em Vitória (dep. Capitão Assumção),Vila Velha (dep. Danilo Bahiense) e Cariacica (Sub Tenente Assis). Na Serra e Viana estamos conversando, principalmente com o PSDB e PRB. Mas não descartamos dialogar com outras forças”, disse o ex-deputado Carlos Manato, que preside o PSL capixaba.

No passado o partido tinha listado como pré-candidatos o delegado da polícia Federal, Márcio Greick, e posteriormente o deputado Torno Marques; entretanto, os planos não vingaram, inclusive o delegado federal é uma das pessoas que está articulando a coleta de assinaturas na Serra para fundação do Aliança Pelo Brasil, que deve ser o novo partido que abrigará Bolsonaro e os filhos.

Sobre o Aliança Pelo Brasil, sabe-se que Manato tem enfrentado correntes bolsonaristas divergentes. Mas ele prefere não entrar em bola dividida: “Tem vários grupos pegando assinatura, o importante é conseguir o número suficiente. Estou me afastando da presidência do PSL, ficarei mais livre para ajudar Bolsonaro, tanto na questão do Aliança Pelo Brasil, como também para participar das eleições ajudando candidatos que vão ficar com ele em 2022, independente do partido”, afirmou o ex-deputado Carlos Manato.

Com o declínio do PSL de lançar um nome a prefeito, quem pode sair fortalecido é o deputado Vandinho Leite, que é tido pelo mercado político como pré-candidato. No entanto, essa arranjo ainda deve passar por alianças entre o PSDB e o PSL em demais cidades capixabas, especialmente Vitória, Vila Velha e Cariacica.

Comentários

Mais notícias

Novo condomínio na Serra vai gerar 200 empregos e R$ 20 milhões em investimento

Mesmo com a crise econômica gerada pela pandemia da covid-19  a construtora Morar mantém os planos de lançar um novo empreendimento na cidade. Trata-se...

Foragido há cinco anos de Minas Gerais é preso na Serra pela Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (4) na região de Balneário Carapebus, na Serra, indivíduo acusado de chefiar associação para o tráfico...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!