• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
26.1 C
Serra
sábado, 16 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

Prefeitura diz que dinheiro em caixa é maior do que dívida consolidada

Leia também

ES recebe 1,5 milhão de seringas para vacinação contra a Covid-19

Chegou ao Estado na manhã deste sábado (16), a primeira remessa de 1,5 milhão de seringas que serão utilizadas...

Advogado mata adolescente que tentava assaltar mulher na Serra

Um adolescente foi morto, na tarde desta sexta-feira (15), ao tentar assaltar uma mulher na avenida Talma Rodrigues Ribeiro,...

Prefeitura fiscaliza bares para flagrar aglomeração e conter Covid-19 na Serra

Pensando em conter o avanço do coronavírus e conscientizar a população, a Prefeitura da Serra está intensificando ações de...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Sede da Prefeitura da Serra. Foto: Divulgação

A gestão atual da Prefeitura da Serra está prometendo deixar o comando do Município com R$ 485.907.651,01 de dinheiro em caixa. O valor, segundo a Secretaria de Comunicação, é maior do que a dívida consolidada. A informação foi concedida ao TEMPO NOVO após publicação de matéria, na tarde da última quinta-feira (3), que mostra que o prefeito eleito, Sérgio Vidigal (PDT), irá assumir a prefeitura com mais de R$ 470 milhões em dívida consolidada.

A Prefeitura da Serra confirmou que o valor chega a 472.573.308,58, mas destacou que o atual chefe do Executivo, Audifax Barcelos (Rede) irá deixar a cidade “com mais dinheiro em caixa do que o valor da dívida consolidada”.

Ainda segundo o Município, o valor da dívida consolidada da prefeitura passou de R$ 291 milhões (no início do primeiro mandato de Audifax, em 2013) para os atuais R$ 472 milhões. “Porém, é importante destacar que, naquela época, havia disponíveis em caixa apenas R$ 21 milhões”, diz a nota.

O próprio Audifax também comentou, por meio de nota, sobre o assunto. “A Serra tem dinheiro em caixa para tocar obras e continuar a prestar bons serviços à população. O zelo com o dinheiro público sempre foi o meu norte”, disse Audifax Barcelos.

Por fim, o Município informou  que os R$ 300 milhões de empréstimos feitos pelo atual prefeito para realização de obras não irão impactar na prestação de serviço à população.

“As operações de crédito contraídas pela atual administração somam R$ 300 milhões e não R$ 380 milhões, e têm prazos de pagamento variados, podendo chegar a 20 anos, não impactam na prestação de serviços públicos e foram contraídas para ampliar os investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana, modernização tecnológica e realizar intervenções estruturantes na cidade, como, por exemplo, as obras da Rotatória do Dório Silva, Hospital Materno Infantil, urbanização e revitalização da orla de Bicanga e Balneário de Carapebus e  pavimentação e drenagem em diversos bairros da Serra”, finaliza a prefeitura que ainda diz ter nota A atribuída pela Secretaria do Tesouro Nacional. 

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!