26 C
Serra
segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

“Ouvi o chamado popular e vamos investigar a taxa de esgoto também”, diz Vandinho

Leia também

Manutenção da EDP vai deixar bairros da Serra sem energia nesta semana

Durante esta semana, muitas comunidades da Serra ficarão sem energia por um determinado período. Isso porque a EDP Espírito...

Alerta: previsão de chuva “forte e preocupante” para esta semana no ES

O volume de chuva estimado para próximos dias no Espírito Santo, por várias simulações atmosféricas feitas em supercomputadores, é...

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O deputado Vandinho Leite criticou o serviço de esgotamento sanitário na Serra. Foto: Tati Beling

Em meio a uma ‘batalha’ contra a EDP, do qual acusa de “fraudar a conta de luz”, o deputado Vandinho Leite (PSDB) deve abrir mais um flanco de combate em sua atividade parlamentar. Trata-se da taxa de esgoto, cobrada pela Cesan, que desde 2015 delegou a gestão do esgoto no município para sua parceira privada, a Ambiental Serra. De acordo com o deputado, “a população tem demandado” que se investigue essa cobrança, uma vez que – nas palavras de Vandinho, “se paga uma taxa caríssima e não há resultados na qualidade dos mananciais”.

Neste mês a Assembleia instituiu uma Frente Parlamentar para investigar “o elevado valor de cobrança das faturas de água e tratamento de esgoto no ES”. A reportagem do TEMPO NOVO foi convidada para conhecer o trabalho, já que um dos locais que deve receber mais atenção dos deputados é a Serra, haja vista que foi o primeiro município a implantar esse sistema de parceria público privada (PPP).

 “Levantamos alguns dados que nos fazem questionar a cobrança da taxa de esgoto na Serra. De 2015 pra frente, a Ambiental Serra recebeu R$ 250 milhões da Cesan. No entanto, não houve investimentos estruturantes, especialmente nas estações de tratamento que trariam mais eficiência do esgoto descartado na natureza. Na verdade, é o contrário. A empresa se transformou na maior poluidora da Serra, já acumula 51 infrações por crime ambiental”, disse Vandinho Leite.

De acordo com Vandinho, o contrato de concessão do esgoto precisa ser reavaliado. O contrato tem valor estimado de R$ 628 milhões em 30 anos, mas desde 2015 já foram pagos R$ 250 milhões. “Essa conta não bate”, acusa o deputado. Ele diz que se for comprovado irregularidades e/ou ineficiência, haverá uma articulação para reduzir o valor da taxa de esgoto e até ação coletiva de reembolso do que já foi indevidamente cobrado.

Ele explica como funciona o sistema de repasses entre Cesan e Ambienta Serra e acusa a empresa de investir em obras de coleta para “faturar mais dinheiro”. Lembrando que o morador que tem sua residência ligada à rede de esgoto, passa a pagar uma taxa de 80% a mais na conta de água.

“A empresa é remunerada mensalmente por uma parcela fixada em contrato (que até final de 2018 batia R$ 128 milhões) e também recebe uma contraprestação mensal da Cesan que leva em consideração a quantidade de esgoto coletado (valor de R$ 1,06 por m³). Ou seja, para faturar, sai ligando as casa na rede de esgoto e deixa de investir em tratamento. Com isso, lamentavelmente a Lagoa Juara – por exemplo, amargou pelo menos duas grandes mortandades de peixes nos últimos anos, que praticamente esterilizou a vida aquática”, questiona Vandinho.

O deputado alerta que a péssima qualidade do esgoto tratado, além de crime contra o consumidor, é também crime ambiental e atinge a saúde pública e a economia. “O buraco é fundo. Além de ser crime contra o consumidor, pois você paga e não tem o serviço, é também crime ambiental, pois polui a natureza, e cria problemas de saúde pública com vetores de doenças, que vão lotar as unidades de saúde. E cria problemas na economia, afastam turistas, acaba com o arranjo pesqueiro, destrói o senso de identidade local. Imagina você morar num bairro que corre um rio de esgoto dentro, não dá”.

Comentários

Mais notícias

Alerta: previsão de chuva “forte e preocupante” para esta semana no ES

O volume de chuva estimado para próximos dias no Espírito Santo, por várias simulações atmosféricas feitas em supercomputadores, é extremo e muito preocupante. O...

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11 estados brasileiros correm o risco...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!