22.1 C
Serra
quarta-feira, 08 de julho de 2020

Nove de cada dez leitos para covid já estão ocupados na Grande Vitória

Estado está a beira de estabelecer regras mais rígidas de distanciamento social

Leia também

ArcelorMittal vai retomar parte da capacidade produtiva em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e que está com sua capacidade produtiva reduzida à menos da metade, a ArcelorMittal...

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16...

Liderando casos da Covid-19 na Serra, Colina de Laranjeiras registra 357 infectados e três mortos

Desde o início do surgimento de casos confirmados de coronavírus na Serra, Colina de Laranjeiras sempre esteve como um...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Na foto, UTI do Hospital Jayme dos Santos Neves, que é referência no atendimento ao coronavírus. Foto: Divulgação / Sesa

A Região Metropolitana, da qual a Serra, faz parte, esta com ocupação de leitos de UTI, segundo dados do Painel Covid-19 do Governo do Estado, em 90,45%. A última atualização aconteceu na tarde da última segunda (1).

Dos 398 leitos de UTI disponíveis, 360 estão ocupados. Já os leitos de enfermaria são 495 e 333 estão ocupados.

Na Serra, o Hospital Jayme Santos Neves, em Morada de Laranjeiras, é referência no tratamento a pacientes com a doença. A UPA de Castelândia também está exclusiva para o atendimento de Covid-19.

O total de leitos para Covid-19 na Região Metropolitana, classificada na atual matriz de risco como risco alto, é de 893 com enfermaria e UTI, destes 77,60% estão ocupados.

O governador Renato Casagrande, disse durante pronunciamento na noite da última segunda-feira (1)  que a atual matriz de risco desde que foi implementada,  é clara. “Se chegou a 91% de ocupação de leito de UTI no ES, nós tomaremos decisões de maior rigor, nos municípios de risco alto que passa então a ser risco extremo da atividade econômica. Nossa prioridade é salvar vidas e se for preciso tomar medidas mais radicais, nós tomaremos e isto está vinculado ao percentual de leitos disponíveis e os ocupados. Se chegar a 91% teremos que fechar comércio, serviços. Não gosto da palavra lockdown porque significa fechamento total, não sair as ruas para nada a não ser para questões muito essenciais e sabemos que uma ou outra pessoa precisa trabalhar sustentar sua família. Não gosto da palavra lockdown, mas nós teremos que adotar medidas de restrição as atividades econômicas aliadas a atividades sociais com mais rigor e espero não chegar a a este ponto”.

Comentários

Mais notícias

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16 de março – data em...

Liderando casos da Covid-19 na Serra, Colina de Laranjeiras registra 357 infectados e três mortos

Desde o início do surgimento de casos confirmados de coronavírus na Serra, Colina de Laranjeiras sempre esteve como um dos bairros líderes no ranking...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!