20 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

LGBTI quer ampliar participação política na Serra

Leia também

Deputado defende redução de gastos do Governo com publicidade

A Assembleia Legislativa endereçou ao Governo do Estado Indicação 927/2020 para que  apenas realize despesas com publicidade e propaganda...

Cesan vai ter que devolver tarifa de esgoto cobrada indevidamente, diz líder comunitário

A Cesan vai devolver tarifas de esgoto cobradas indevidamente de moradores de Balneários Carapebus. É o que afirma o...

MPF aponta que ES tem menos leitos de UTI do que constam nos dados oficiais

Na tarde desta quinta-feira (4) o Ministério Público Federal (MPF) fez uma denúncia preocupante para o Espirito Santo. O órgão...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Por Conceição Nascimento

O movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais (LGBTI) da Serra quer ampliar sua participação política em 2018. A meta para o próximo ano é a instituição de um conselho municipal para que possam receber um assento na Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania (Sedir). 

Atualmente, a comunidade LGBTI da Serra é representada pelo Forum, que tem como coordenadora adjunta Evelyn Macedo. 

Dentro da programação do Fórum, no último domingo (10) aconteceu o Manifesto LGBT, em Jacaraípe, o único do Estado. Isso porque as prefeituras municipais não disponibilizaram verba para dar suporte aos eventos. Segundo a organização do Manifesto, foi estimada a participação de aproximadamente 25 mil pessoas. 

“Nossas atividades foram encerradas com a parada, que superou as expectativas. Tivemos a participação voluntária de artistas; a prefeitura contribuiu com o palco, um camarim e oito banheiros químicos. O vereador Luiz Carlos Moreira (PMDB) foi o único que nos ajudou, com o trio elétrico. Esse ano nosso Manifesto foi no dia que comemoramos o dia dos direitos Humanos. Dez de dezembro é o dia internacional dos direitos humanos. Portanto, uma data emblemática. Foi um manifesto marcado pela defesa de políticas inclusivas e de valorização da vida humana”, disse Evelyn.

Segundo Evelyn, em 2018, o grupo vai focar em ações nos bairros, pois o Fórum não recebe ajuda. “Pretendemos divulgar mais o Fórum, fazer ações nos bairros e buscar junto à Câmara da Serra apoio para que possamos formar o nosso conselho, lutamos há muitos anos e não conseguimos virar um conselho municipal. Precisamos ser conselho para obter uma cadeira na Sedir. Vamos nos reunir na próxima semana, fazer a avaliação das ações em 2017 e montar a agenda do ano inteiro de 2018, com ações que podemos fazer, como o piquenique da diversidade, semana de cidadania, entre outras”, adiantou. 

Comentários

Mais notícias

Cesan vai ter que devolver tarifa de esgoto cobrada indevidamente, diz líder comunitário

A Cesan vai devolver tarifas de esgoto cobradas indevidamente de moradores de Balneários Carapebus. É o que afirma o líder comunitário local, Anderson Muniz....

MPF aponta que ES tem menos leitos de UTI do que constam nos dados oficiais

Na tarde desta quinta-feira (4) o Ministério Público Federal (MPF) fez uma denúncia preocupante para o Espirito Santo. O órgão disse em sua denúncia que...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!