• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 41.410 casos
  • 767 mortes
  • 40.067 curados
24 C
Serra
quinta-feira, 04 março - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 41.410 casos
  • 767 mortes
  • 40.067 curados

Golpe no WhatsApp: criminosos utilizam convite falso para grupo da Assembleia Legislativa

Leia também

Festival Voadora terá 12 shows autorais com destaques da música capixaba  

Cento e oitenta e seis projetos foram inscritos para o processo de seleção do Festival Voadora, cujas apresentações acontecem entre...

Detran implanta exame teórico digital na Ciretran Serra Sede e facilita vida de moradores

O município da Serra receberá mais uma Sala de Exames Teóricos digital do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito...

Vereador defende regulamentação do serviço de mototáxi na Serra

  Por meio do Projeto Indicativo de Lei 43/2021, o vereador Pablo Muribeca (Patriota) defende a regulamentação do serviço de...
Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

O grupo envia convite para que usuários recebam notícias da Assembleia Legislativa. Foto: Divulgação

Criminosos clonaram a conta de WhatsApp de um prefeito capixaba e estão usando a marca da Assembleia Legislativa do Espírito Santo para praticar golpes.

Os golpistas enviam convites para que os usuários do aplicativo entrem em um grupo falso de notícias da Casa. Confirmado o interesse em participar do suposto grupo, a pessoa recebe por SMS um código que é solicitado pelos bandidos. Com isso, é instalado o Whatsapp Business da vítima em outro aparelho e os criminosos, então, passam a ter controle sobre a conta para praticar diversos tipos de crime.

A Procuradoria da Assembleia esclarece que um boletim de ocorrência será registrado. A Secretaria de Comunicação do Legislativo informa que não envia SMS para usuários nem solicita dados pessoais. O único link para acesso a grupo de notícias oficial é https://bit.ly/39p4lXc.

Na clonagem, os criminosos vasculham as redes sociais das supostas vítimas, coletando o maior número possível de dados e informações pessoais, como o tipo de carro utilizado, locais frequentados, como trabalho e escola dos filhos, e até a residência das pessoas.

Com isso, é criada uma conta com o nome e uma foto da vítima para entrar em contato com amigos e familiares e, a partir daí, solicitar empréstimos como se fosse a pessoa, praticar extorsão e estelionato.

No sequestro de WhatsApp, os crimes praticados são praticamente os mesmos que na clonagem, porém, nesse caso, os bandidos invadem o aparelho da vítima, passando a ter acesso ao conteúdo do aplicativo como fotos, vídeos, conversas e documentos.

Solicite bloqueio da conta

A primeira ação a ser feita é comunicar imediatamente ao suporte do WhatsApp e solicitar o bloqueio da conta, para que o criminoso não consiga se passar pela vítima e tirar dinheiro dos seus contatos. A solicitação de bloqueio da conta deve ser feita enviando um e-mail para [email protected], com o assunto: Perdido/Roubado – Desative minha conta.

Avise aos seus contatos

Após a solicitação do bloqueio da conta, a vítima deve telefonar para seus parentes e amigos mais próximos, avisar o ocorrido e pedir que comuniquem o fato nas redes sociais e nos grupos do WhatsApp. Quanto mais abrangente e eficiente for essa rede de comunicação do fato menor será o risco de sucesso do golpe.

Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Saiba mais
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!