Falta educação durante embarque nos terminais do Transcol, dizem usuários

0
Falta educação durante embarque nos terminais do Transcol, dizem usuários
Terminal de Jacaraípe, na Serra. (Foto: Vilson Vieira Jr.)

Uma atitude tem gerado revolta entre os usuários do Sistema Transcol na Serra. Quem circula pelos terminais do município reclama que motoristas estão abrindo duas portas – ao invés de apenas uma – no momento do embarque dos passageiros.

O resultado dessa prática faz surgir aquela figura indesejável e conhecida por muitos, a dos fura-filas, que se aproveitam da oportunidade. Isso acontece em viagens iniciais, ou seja, aquelas que têm origem em um terminal.

Quem já passou por essa experiência desagradável foi a professora Raquel Krull. “Aconteceu comigo duas ou três vezes no Terminal de Jacaraípe. O ônibus para na plataforma e abre a porta de trás. Quando as pessoas começam a entrar, o motorista abre a porta do meio, e quem está nas filas ao lado (504 e 523) entram por essa porta, passando à frente dos demais passageiros que já aguardam há mais tempo para irem sentados ou com o mínimo de conforto”, relata.

Raquel diz que se sente enganada, pois faz questão de esperar mais tempo na fila para ir sentada e ter o mínimo de conforto após um dia inteiro de trabalho em sala de aula. “A gente trabalha em pé durante o dia e quer ir sentada para ler um livro ou descansar. Deixo o primeiro ônibus sair e fico na fila à espera do próximo”, desabafa a moradora de Jacaraípe.

Mas a usuária do transporte coletivo não está sozinha nessa história. A também professora Flávia Pessimilio, que mora em Nova Almeida, relata problema semelhante e na mesma linha (875), só que na volta para casa.

“Quando eu chego do trabalho, vou ao ponto do 875, no Terminal de Laranjeiras. O ônibus encosta e o motorista abre a porta do meio para a fila entrar; mas também abre a porta de trás logo depois. O pessoal entra correndo, fura a fila e senta, enquanto os que tinham a possibilidade de viajar sentados – e esperaram por isso – não conseguem”, explica Flávia, que já passou pela experiência inúmeras vezes.

Ela diz que não há motivos para que os motoristas ajam assim, estejam atrasados ou não, e acredita que eles devem deixar todas as pessoas sentarem para, só depois, abrirem a outra porta. “O que não vale é a pessoa estar na fila para ir sentado e não consegue. Caso contrário, não há necessidade de fazer fila para embarcar nos coletivos, já que todo mundo vai entrar e se empurrar”, completa.

A reportagem também já flagrou por diversas vezes situações semelhantes em linhas alimentadoras – aquelas que atendem os bairros -, como a 806 (Nova Almeida – Terminal de Jacaraípe). E o roteiro é o mesmo: o motorista abre a porta do meio – geralmente a usada para embarque nos terminais -, mas antes mesmo de os passageiros ocuparem todos os assentos, ele abre a porta traseira, gerando os transtornos relatados pelas passageiras.

Recomendação é abrir uma porta

A respeito disso, a Ceturb, por meio de nota, diz que tal atitude de motoristas não é recomendada pelo órgão e que a orientação é que eles “abram apenas uma porta para embarque nos terminais de origem, ou seja, quando se trata da viagem inicial, até que não haja mais assentos vazios, para depois abrir a outra porta”.

Ainda segundo o órgão, apenas nos “terminais de passagem é que as duas portas devem ser abertas para agilizar o embarque e desembarque”. A exemplo de linhas troncais como a 504 e a 523, que ligam o Terminal de Jacaraípe aos de Itacibá e Jardim América, respectivamente, mas que também atendem os terminais de Laranjeiras e Carapina.

A Ceturb finaliza a nota cobrando dos usuários mais respeito às filas. O telefone para reclamações dos usuários é o 0800 039 1517. Ligação gratuita.

Comentários