24.6 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

Embates com Executivo dificultaram trabalhos da Câmara, avalia vereador

Leia também

Prefeitura diz que nascente ressurgiu após reflorestamento no Parque da Cidade

Três olhos d’água que abastecem o curso do córrego Laranjeiras brotaram no Parque da Cidade após anos de trabalho...

Obrigado, ambientalistas serranos

Num momento em que as políticas de proteção ao meio ambiente sofrem pesado revés no Brasil, fica ainda mais...

Com ausência de Porto, Cabo Puppim quer manter vivo o DNA de direita na Câmara: “recebi uma missão”

Aos 43 anos de idade, o policial reformado e advogado, Bruno Puppim, se vê diante de um novo desafio:...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

 

Por Conceição Nascimento

Com sua população de aproximadamente 470 mil habitantes, a Serra tem 23 vereadores, que se preparam para o último ano da atual legislatura. Em 2016 vão enfrentar as urnas, colocando seus mandatos para a avaliação do eleitor.

Em conversa com a reportagem do jornal Tempo Novo, vereadores avaliaram os trabalhos da Câmara e apontaram expectativas para 2016. Em comum todos concordam que os trabalhos foram prejudicados em função de alguns embates internos e também com o Executivo. Confira alguns depoimentos:

 

cesar nunesCézar Nunes (Rede), que está no quinto mandato, avalia que infelizmente houve um comportamento estranho de alguns vereadores, segundo ele, sem compromisso. “Houve um embate desnecessário com o Executivo, o que prejudica o município. A Câmara poderia estar melhor. Para o próximo ano, a expectativa é de que seja tranquilo, mas a Serra está no caminho certo, vamos aguardar o posicionamento do comando da câmara.

 

sabinoSebastião Sabino (PT) assumiu o mandato em fevereiro, com a saída de Bruno Lamas (PSB) para a Assembleia Legislativa. “Encontrei uma casa dividida em dois blocos. Fui um pouco rotulado, como base aliada, e acabei ficando no bloco de sustentação ao governo. Este ano foi positivo pelo que a Câmara produziu; muitos projetos votados, com alguns momentos tensos. Já 2016 vai ser um ano de bastante movimento na Casa, ano eleitoral; de muito trabalho”, lembrou.

 

 

aldairAldair Celestino (PTB) também observa 2015 como um ano adverso. “Tivemos alguns embates quando poderíamos estar produzindo, e ficamos resolvendo conflitos internos. De meados do ano pra cá, começamos a avançar e terminamos 2015 de forma bastante harmoniosa. 2016 será um ano complexo, com dificuldade no aspecto financeiro; é um ano político”, avaliou.

 

 

 

guto lorenzoniO vereador Guto Lorenzoni (PP) acredita que os trabalhos realizados pela CMS se deram de maneira difícil, com a dificuldade para aprovar matérias do Executivo. “Esse tipo de manobra atrasa os benefícios a serem entregues à população. No geral, a Câmara teve uma boa participação no processo, com a aprovação do PDM e do orçamento. Para 2016, a tendência é a reorganização político partidária, com as mudanças proporcionadas pela nova legislação”.

 

 

nacibO experiente Nacib Haddad (PDT) diz que a produção da atual Câmara está fraca. “É uma câmara desprestigiada. Creio que 90% das leis votadas foram vetadas pelo Executivo ou barradas na Procuradoria interna, como inconstitucional. Até nome de Centro Municipal de Educação (Cmei) o prefeito vetou. Para 2016 vejo que será um ano de muita dificuldade financeira. A tendência é piorar a relação com o Executivo”, adiantou.

 

 

 

basilioO vereador Basílio da Saúde (Pros) também avalia 2015 como pouco produtivo. “Poucos projetos aprovados e poucos sancionados pelo prefeito. Muitos projetos bons, mas vetados. Os embates entre Legislativo e Executivo somam-se como ponto negativo. Em 2016, acho que a relação poderá melhorar entre os poderes. Demos uma trégua ao prefeito (Audifax Barcelos-Rede), para que apresente seu trabalho”, detalhou.

Comentários

Mais notícias

Obrigado, ambientalistas serranos

Num momento em que as políticas de proteção ao meio ambiente sofrem pesado revés no Brasil, fica ainda mais evidente a importância dos ativistas...

Com ausência de Porto, Cabo Puppim quer manter vivo o DNA de direita na Câmara: “recebi uma missão”

Aos 43 anos de idade, o policial reformado e advogado, Bruno Puppim, se vê diante de um novo desafio: "contribuir com a mudança da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!