Disputa da Mesa faz partidos endurecerem com vereadores | Portal Tempo Novo

Serra, 15 de novembro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Política

Serra, 25 de Maio de 2018 às 9:51

Disputa da Mesa faz partidos endurecerem com vereadores


Rede, PDT, PTC, PSB e PHS. Em comum esses partidos têm mais de um representante na Câmara da Serra e estão de olho na movimentação dos seus vereadores na eleição da Mesa Diretora da Casa, marcada para o próximo dia 02. Diante das divisões internas e das indefinições, dirigentes partidários prometem adotar medidas previstas nos Estatutos sobre os insubordinados e devem dar orientação para os vereadores votarem conforme decisão partidária.

Rede: “Os derrotados querem 3º turno da eleição de 2016”

André Toscano, porta-voz estadual da Rede dispara contra a oposição: “Os derrotados em 2016 estão querendo fazer da eleição da Mesa Diretora da Câmara um Terceiro Turno”. Sobre as orientações para seus representantes, Alexandre Xambinho, Guto Lorenzoni e Rodrigo Caldeira, Toscano explicou que a Rede irá orientar a votação da bancada. “Não abrimos mão disso”. Em caso de descumprimento das orientações da Rede, André disse que “as medidas já estão estabelecidas no Estatuto da Rede, que pode ser de uma advertência até expulsão”, lembrou. Entre as incertezas do partido, está exatamente o presidente da Câmara, Rodrigo Caldeira, que vem compondo com a oposição. Procurado, Caldeira disse que a Rede não o convidou para conversar, e questiona: “Como o partido que tem um presidente vai apoiar outro nome de outro partido?”.

PDT: “Orientação é votar com Nacib”

O PDT reúne sua bancada, Fábio Duarte, Geraldinho PC e Nacib Haddad, nesta sexta-feira (25) para orientá-los quanto ao posicionamento do partido nas eleições da Câmara. O presidente municipal, Alessandro Comper, disse que a bancada deve caminhar com o líder do partido. “O PDT quer que seus vereadores acompanhem as orientações da líder Nacib Haddad. O PDT não vai ter tolerância nem admitir falta de respeito e de compromisso com o partido e os companheiros; foram eleitos pelo PDT”, disse. No caso do PDT, Fábio e Geraldinho fazem parte da base governista, e devem ser questionados pelo PDT. Fábio diz que cada vereador deve responder pelo seu mandato, pois foi eleito para isso. “Precisamos votar com nossa consciência”. Já Geraldinho não quis comentar. 

PHS: “Somos da base e vamos conversar com o prefeito”

Outro partido que enfrenta divergências internas é o PHS. São dois vereadores: Roberto Catirica e Stefano Andrade, ambos eleitos pelo grupo do prefeito em 2016, mas que tomou lado da oposição nos últimos meses. O presidente municipal do partido, Jadson Barcelos alerta que o PHS é partido governista e vai se reunir com prefeito e os vereadores. “Vamos convocar os dois vereadores e se reunir com o prefeito. O PHS é da base, fomos eleitos na base, apoiamos o governo, que no nosso entender faz um bom trabalho. Vamos dar a orientação de voto a partir dessas reuniões”, disse Jadson. Procurado, Stefano diz: “O PHS ainda não falou nada, e sempre vem apoiando as decisões dos vereadores”, disse Stefano, líder do partido na Câmara. Já Catirica não quis comentar.

PTC: “Galinhão pode perder o mandato”

Outro racha está na bancada do PTC, formada pelos vereadores Adriano Galinhão e Miguel da Policlínica, que é o presidente municipal do PTC e vice-líder do prefeito Audifax na Câmara. “O partido já manifestou a Galinhão que vamos votar em conjunto. O voto vai ser encaminhado para o grupo onde o partido está. Onde ele está não tem proposta para o PTC. Caso não siga as orientações, vai sofrer as punições cabíveis como advertência e até expulsão e pedido do mandato. Essa é a orientação da Executiva Estadual e da Nacional”, disse Miguel. Galinhão era da base do prefeito, mas nas últimas semanas migrou para o grupo de oposição. Ele diz: “Vou seguir a minha própria orientação e ver o que é melhor para a Serra. Isso é pressão e não voto por pressão”, argumenta Galinhão.

PSB: “Vamos estudar as punições”

Com dois vereadores na Câmara, Geraldinho Feu Rosa e Cabo Porto, e se colocando no grupo do prefeito, o PSB defende que seus vereadores acompanhem a base governista e pretende cobrar fidelidade partidária. Segundo a liderança maior do partido na Serra, deputado estadual Bruno Lamas, o partido vai se reunir nas próximas semanas com os dois vereadores. “O PSB é partido da base, vamos nos reunir e orientar o voto dos vereadores e tem que estar alinhado com o partido. Caso não ocorra vamos estudar possíveis punições”. Disse Lamas. No caso do PSB, o impasse é com Geraldinho Feu Rosa, que faz duras críticas à gestão e ao prefeito Audifax Barcelos e é cotado para votar em uma chapa de oposição. Geraldinho foi procurado pela reportagem, mas até o fechamento dessa edição não foi encontrado.

 




O que você acha ?

Você acredita no sucesso do governo Bolsonaro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por