Destino partidário de Vidigal será definido na segunda (30)

0
Destino partidário de Vidigal será definido na segunda (30)
O deputado federal Sérgio Vidigal votou a favor do afastamento da presidente Dilma. Foto: Divulgação

Por Conceição Nascimento

O deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), que governou a Serra por três mandatos e é um dos pré-candidatos à corrida majoritária de 2016, pode ser expulso do seu partido na segunda-feira (30), o que dificultaria sua entrada no processo eleitoral de dois de outubro.

A punição acontece após o parlamentar confirmar seu voto em favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), no dia 17 de abril. Com isso, o pedetista entrou na lista endereçada à Comissão de Ética da legenda, e a punição prevista é o afastamento da legenda.

A reunião que vai definir o destino dos parlamentares acontece na próxima segunda-feira (30). Durante o encontro, a Executiva Nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT) vai anunciar a decisão da Comissão de Ética da legenda sobre a permanência ou não dos parlamentares no quadro de filiados.  O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, havia orientado seus parlamentares a votarem contra o afastamento da presidente, sob pena de expulsão dos desobedientes.

Vidigal milita no PDT há 28 anos e é o presidente do partido no Espírito Santo. Uma expulsão a quatro meses das eleições seria um problema para Vidigal, já que o prazo para troca e filiação partidária terminou em abril e ele poderia ser impedido de disputar o pleito pela Justiça Eleitoral. Para se garantir candidato, Vidigal precisaria enfrentar uma batalha judicial.

Destino partidário de Vidigal será definido na segunda (30)
Após votar pelo impeachment, Vidigal foi recebido como herói no Estado. Foto: Divulgação

Segundo informações da assessoria de imprensa do PDT, o Comitê de Ética partidária está concluindo o parecer de cada deputado e no dia 30 de maio, na reunião do Diretório Nacional, no Rio de Janeiro, será anunciada a decisão final do partido. A assessoria disse ainda que o presidente Carlos Lupi, assim como qualquer membro do Comitê, só falarão a respeito de algum parlamentar após a reunião.

O presidente Lupi enviou carta à militância onde fez o relato de todo o processo que resultou na decisão do partido de votar contra o impeachment.

A assessoria do deputado Vidigal foi procurada, mas ainda não retornou ao contato.

 

Comentários