Deputado quer a reeleição, Casagrande no Anchieta e Bruno Lamas em Brasília

0

 

Deputado quer a reeleição, Casagrande  no Anchieta e Bruno Lamas em Brasília
Foletto quer que o PSB eleja dois deputados federais em 2018, repetindo o feito de 2010 quando Audifax e o próprio Foletto conseguiram vaga no Congresso. Foto: Divulgação / Chico Ferreira

Yuri Scardini

Depois de se afastar das atividades legislativas, devido a uma cirurgia para retirada de um tumor na medula no final do ano passado, cogitou-se no meio político a aposentadoria do deputado federal Paulo Foletto (PSB). Nesta entrevista, o deputado capixaba, que está no seu segundo mandato, garante que está bem e que é candidatíssimo nas eleições de 2018.  Defender o nome de Casagrande para o governo do estado e quer Bruno Lamas para federal.

Circularam informações de que o senhor poderia não disputar as eleições em 2018, por questões pessoais e saúde. Como estão os seus planos para 2018?

Não tenho mais limitações nenhuma, estou apenas fazendo reforço muscular. Vou disputar sim a eleição. Estou conversando com meus eleitores, com apoiadores, com o movimento social e prestando contas do trabalho desenvolvido durante o mandato. Acredito ter muito ainda para contribuir com meu partido e meu estado. Tenho importantes projetos no congresso nacional e quero dar continuidade a eles.

É correto dizer que o PSB faz parte da oposição ao governo de Hartung?

Não fazemos oposição ao governo Paulo Hartung. Procuramos fazer o melhor para o Espírito Santo.

Como andam as conversas envolvendo o PSB e os outros partidos para a eleição de 2018?

As conversas sobre as eleições estão ainda começando. A discussão será feita pelo partido no próximo ano. Nosso objetivo agora é fortalecer o PSB e, principalmente, atrair pessoas que estejam comprometidas em trabalhar para melhorar a vida da população do nosso estado.

O PSB tem conversado na Serra com todas as siglas; com Vidigal e Audifax? Tem as portas fechadas para alguma liderança ou partido?

Como presidente do PSB no estado, posso dizer que as portas do partido estão sempre abertas. Sou amigo de Audifax, estivemos trabalhando juntos em Brasília. E hoje, ele tem o meu empenho e apoio no que precisar aqui para a Serra. Vidigal é um político sério e dedicado à suas causas. Podemos sim, andar juntos em 2018.

Na condição de principal liderança do partido, como Renato Casagrande pode se posicionar em 2018?

O Renato tem totais condições de ser candidato a governador. Ele fez um belíssimo trabalho. Torço que Casagrande seja candidato ao governo.

Na Serra, temos uma liderança, que é o Bruno Lamas, presidente do PSB municipal. Há uma pressão do PSB estadual para que Bruno venha em 2018 na condição de federal? 

Há uma grande expectativa em torno do nome do Bruno Lamas. Ele tem todo o apoio do partido para ser o candidato a federal pela Serra. O PSB, que no passado já fez dois deputados federais: eu e o Audifax precisa de mais representantes na Câmara Federal e trabalha para isso. O Bruno já mostrou que é capaz e tem tudo para crescer nestas eleições.

 

Comentários