De olho nas eleições, 11 vereadores devem trocar de partido na Serra

0
De olho nas eleições, 11 vereadores devem trocar de partido na Serra
Vereadores da Serra trocam de partido, de olho nas eleições 020 Foto: Divulgação

Trocas nos comandos das legendas, costuras, captação de filiados e apresentação de chapas. As eleições 2020 só acontecem em 4 de outubro, mas nos bastidores políticos a movimentação de caciques partidários é intensa. E a alta temperatura desses arranjos pode ser medida a partir da correria entre os pré-candidatos, que buscam partidos com melhores condições para a disputa. 

Entre os vereadores da Serra, dos 20 nomes que representam a cidade no legislativo atualmente, 11 devem trocar de legenda. Três estão afastados por determinação judicial. 

Sobre as mudanças, destaque para vereadores eleitos em partidos que foram pegos pela Justiça Eleitoral pelo não cumprimento da cláusula de barreira. Sao 3 filiados à Rede; dois ao PHS (agora Podemos); dois no PTC, um PMN. Há ainda casos de vereadores expulsos das legendas e outros que precisam se abrigar em partidos mais convidativos. 

É o caso de Fabio da Habitação (PSD), suplente da coligação que assumiu a cadeira após o afastamento da titular, Neidia Maura. Especula-se que ele deve se filiar ao PSB.

“Está muito cedo para isso, tenho até abril. Tenho diálogo com o PRB e o PSL, além do PSB”, disse, quando questionado pela reportagem.

Membro da Mesa Diretora, Roberto Catitica confirma que deve seguir para o PR. “É sim, uma expectativa muito grande de eu migrar para o PR, mas ainda vou analizar a situação da migração do PHS para o Podemos. Quero contribuir com a administração do prefeito Audifax Barcelos (Rede), e um grupo dele está no Podemos; gostaria de continuar na minha sigla. O PHS foi um partido que me acolheu, mas o PR nós vamos construir para contribuir também com o prefeito. Recebi o convite do grupo de Magno Malta, através do presidente Miguel Maia. Também mantive conversas com o PRB, que tem um projeto para a cidade no futuro. Uma conversa com o Eric Musso e Roberto Carneiro, em uma perspectiva de no futuro o PR migrar. Vou conversar com o prefeito a fim de verificar se há necessidade de eu ficar no Podemos para contribuir com ele. Ficamos entre o Podemos e o PR e, no PR, podemos oferecer o nome do vice”, explicou. 

Após perder o controle do Pros, o vereador Basilio da Saúde também procura um partido para disputar as eleições em 2020. “Estou em conversa com alguns partidos, mas tenho até março para escolher um como minha ideologia”, frisou.

Miguel da Policlínica e Adriano Galinhão também devem deixar o PTC. Como o partido não alcançou a cláusula de barreira, é possível sair antes da janela imposta pela Justiça Eleitoral, em 2020. Galinhão deve ir para o PSB, enquanto Miguel afirma que ainda não decidiu; mas que deve se filiar ao mesmo partido que Robinho Gari, atualmente PV.

A Rede também deve sofrer uma baixa. A legenda, retida na cláusula de barreira, deve perder os 3 vereadores na Serra: Rodrigo Caldeira, que deve seguir para o PDT ou PSB; Guto Lorenzoni, que flertou com o PSC, mas pode ir para o Podemos, partido controlado pelo prefeito, e Ericson Duarte. 

O Podemos pode ainda receber outras lideranças da Rede, como Roberto Carlos, Igor Elson e Elcimara Rangel. 

Recéntemente expulso do PDT, Fábio Duarte aguarda o comando de Audifax Barcelos para decidir a legenda que vai se filiar. Cabo Porto também é cotado para deixar o PSB; Cleusa Paixão sai do PMN. 

Comentários