27.9 C
Serra
quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Customizar é a boa para reciclar e dar personalidade as roupas  

Leia também

Assombrações? Que nada! O medo agora é outro… | Confira a ‘Charge do TN’

Na charge desta semana, o TEMPO NOVO traz novamente temas de duas doenças que andam assombrando serranos e demais...

Serranos mandam ver em versão da canção ‘Telegrama’ de Zeca Baleiro

Ícone da geração dos anos 1990 da MPB, o maranhense Zeca Baleiro teve versão de uma de suas músicas...

Atraso de entrega de imóvel gera direito a indenização

O ano 2018 marcou o fim de um ciclo de 5 anos de retração econômica, de acordo com a ...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A costureira Aleny Santos, de Jacaraípe, customiza saias, shorts, blusas, calças e até chinelos para os clientes. Foto: Fábio Barcelos

Pedras, pérolas, apliques de estampas, correntes, fitas e miçangas. Estes são alguns dos itens usados por quem quer dar sua própria personalidade a uma roupa nova ou até mesmo usada que estava esquecida lá no fundo do armário. É a customização de roupas.

A costureira Lorena Piontkowsky, moradora de Vila Nova de Colares, é uma das pessoas que investe na customização e reforma de todo tipo de roupa, tanto para uso próprio quanto para terceiros. Recentemente ela transformou uma calça jeans em saia e garante que dá para economizar reaproveitando roupas não usadas que estão esquecidas dentro do guarda roupa.

“Minha mãe era costureira e eu gostava daquilo ali. Vendo ela fui aprendendo, tanto a tingir, quanto costurar, quanto customizar. Assisto vídeos no Youtube para aperfeiçoar a aprender coisas novas. Trabalho com projetos, por exemplo, de customização de jaqueta, que hoje estão usando muito. Eu uso cloro para desbotar, pedraria, aplique, todo tipo de material. Tenho um projeto de transformar blusas masculinas em vestidos no qual estou trabalhando”, conta.

A também costureira Aleny Santos, de Jacaraípe, é outra que trabalha reformando e customizando todo tipo de peça. “Faço chinelos com pedraria, são únicos e personalizados. Também reformo vestido, short, calça, blusa e com certeza dá para economizar personalizando peças. Transformo muitas calças em shorts. Quando a peça fica curta coloco um babadinho ou uma renda e acaba que a roupa fica novinha em folha e a cliente satisfeita”, frisa.   

Segundo Aleny uma bermuda nova custa R$ 60 na loja. “Aí você tem uma calça que não usa por algum motivo, a costureira vai cobrar R$ 10 para transformar em bermuda, dá pra economizar bastante”, destaca.

A artesã Jupiara Francisco Cruz Julio da Silva, de Nova Palestina, Vitória, também trabalha com customização de calça jeans, blusas, vestidos, abadás e até bolsas. “Uso linhas, renda, couro, miçangas, fitas, sianinhas e já faço isso há 26 anos”, revela.

Comentários

Mais notícias

Serranos mandam ver em versão da canção ‘Telegrama’ de Zeca Baleiro

Ícone da geração dos anos 1990 da MPB, o maranhense Zeca Baleiro teve versão de uma de suas músicas mais conhecidas, ‘Telegrama’, gravada ao...

Atraso de entrega de imóvel gera direito a indenização

O ano 2018 marcou o fim de um ciclo de 5 anos de retração econômica, de acordo com a  Coordenadoria de Projetos Imobiliários da...

Desastre ambiental iminente no Atlântico envolve de novo a Vale

Co-responsável pelo derramamento de rejeitos no rio Doce e no mar com o rompimento da barragem da Samarco (Vale + BHP Billiton) em 2015...

O suplente Fábio Latino assumirá em definitivo a vaga de Cabo Porto na Câmara

Com a morte do vereador Cabo Porto, o suplente, Fábio Latino (PSB), deverá assumir a vaga. Latino conversou com a reportagem nesta quarta-feira (26)....

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem