“Continuo ao lado da população, defendendo a redução da conta de luz” | Portal Tempo Novo

Serra, 19 de novembro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Política

Serra, 26 de outubro de 2018 às 9:37

“Continuo ao lado da população, defendendo a redução da conta de luz”

Por Yuri Scardini
[email protected]

Bruno critica convênios entre Estado e prefeituras na reta final do ano. Foto: Divulgação Tonico

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB), se envolveu numa polêmica durante as últimas semanas. Isso porque ele é autor de um projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa que previa a redução de imposto estadual na conta de energia. Porém, a pedido do governador eleito, Renato Casagrande (PSB), o atual governador Paulo Hartung (MDB) vetou o projeto, que apontou inconstitucionalidades na proposta e impacto negativo de R$ 500 milhões na arrecadação. Nessa mini entrevista, Bruno se posiciona sobre o caso, afirma que vai votar contra o veto e critica a “gastança” de recursos públicos nessa reta final de mandato do governador Hartung:   

O senhor é autor de um projeto de lei para redução no imposto da conta de energia. Mas a pedido de Casagrande, o governador Hartung (MDB) vetou. Isso gerou algum constrangimento no PSB? E Qual é a sua posição a respeito do veto?

Votarei contra o veto. Responsabilizo o Governador Paulo Hartung que foi quem assinou e encaminhou o veto à Assembleia Legislativa. Ele nunca foi de obedecer a ordens. Então, essa atitude não cola. Continuo ao lado da população, defendendo a redução da conta de luz que subiu 18%. Reduzir a conta de energia aliviaria o orçamento das famílias e aqueceria a economia. Minha relação com Casagrande é de 25 anos. Tenho convicção que ajudarei muito a Serra sendo elo entre a cidade e o Estado.

Você tem feito críticas sobre as movimentações financeiras do Governo do ES nessa reta final do ano, especialmente sobre a liberação de convênios assinados com prefeituras, entre elas a da Serra. Qual é sua posição sobre o tema?

O Governo anuncia uma gastança absurda, de quase R$ 600 milhões a 2 meses para o fim do ano. São convênios em parcelas única (ferindo o decreto nº 2737-R de 19 de abril de 2011) assinados após as eleições. Compra de imóveis de forma apressada; terceirização de hospitais públicos sem debate com a sociedade, entre outras. Hartung herdou o Estado com mais de R$ 2 bilhões em caixa e quer entregar ao seu sucessor R$ 300 milhões que não custeiam sequer uma folha mensal dos servidores. É preciso regras mais rígidas para todo o Brasil, no que tange à transição de Governos.

Você tem pelo menos mais dois projetos de redução de impostos tramitando na Casa que tratam-se da redução da taxa de esgoto e da alíquota do IPVA. Vai manter as propostas?

Meus projetos foram apresentados, ainda em setembro, quando sequer tínhamos o resultado das eleições. Vou continuar propondo leis que realmente façam a diferença na vida das pessoas. Já iniciei o diálogo com a equipe de transição para avaliar o impacto financeiro, ajustar as matérias e seguir em frente no intuito de aprová-las.

 




O que você acha ?

Você acredita no sucesso do governo Bolsonaro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por