25.7 C
Serra
terça-feira, 30 novembro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Conheça professores que entraram na política para fazer a diferença na educação da Serra

Leia também

Direitos Humanos | Serra vai ter mutirão para retificação de gênero e de nomes de pessoas trans

No dia 10 de dezembro se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos.  E na Serra vai ter uma...

Prefeitura vai reforçar iluminação em bairros da Serra com extensões de rede

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria de Serviços (Sese), anunciou que sete bairros da Serra vão ganhar reforço...

ES terá audiências públicas para mostrar diagnóstico de ações para reduzir riscos de inundações

Ao longo dos meses de dezembro deste ano e janeiro de 2022, o Governo do Estado, discutirá a macrodrenagem...
Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

“Professor é aquele que partilha o que sabe, procura o que não sabe, pratica o que ensina, pergunta o que ignora e vai em busca daquilo que é a capacidade de não ser exclusivo”. As palavras do professor Mário Sérgio Cortella resumem o cotidiano dos profissionais do magistério, que compartilham informação e conhecimento ao longo de suas trajetórias de vida.

Nesta sexta-feira (15) comemora-se o Dia do Professor, e o Jornal Tempo Novo ouviu alguns representantes do magistério que deixaram as salas de aula para ocupar funções  na vida pública. Professor Alex Bulhões (PMN), Professor Artur Costa (SDD) e Professor Rurdiney são vereadores da Serra. A reportagem ouviu ainda o ex-deputado estadual Professor Roberto Carlos.

Professor Alex Bulhões. Foto: Divulgação

Após atuar 11 anos como diretor escolar, amigos e membros da comunidade escolar sugeriram que Alex Bulhões representasse a categoria na Câmara de Vereadores. Por isso decidiu se candidatar a vereador da Serra. Segundo ele, o dia do professor é para enaltecer as lutas da categoria e refletir junto à sociedade acerca dos desafios de estar na sala de aula em condições adversas e extremas, as quais impactam diretamente no trabalho dos docentes e na formação dos estudantes.

“Frisar isso é importante, visto que é comum a sociedade e os gestores públicos atribuírem ao professor a figura romântica de um ‘sacerdote da educação’, pesando em seus ombros obrigações que muitas vezes não lhe cabem, descartando até o fato de que lecionar é, antes de tudo, uma profissão, escolhida por diversos motivos que não apenas o amor por ensinar.

A data também serve para lembrarmos os avanços conquistados graças às infinitas lutas da categoria e àqueles que entendem o quão relevante é o papel do professor e da educação enquanto política pública na formação de uma sociedade mais consciente e inclusiva”, avaliou.

O professor Alex Bulhões se formou na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) no ano de 1997. Leciona a disciplina de Matemática há 30 anos em escolas municipais e estaduais da Serra. Também é especialista em Educação Matemática. Durante 11 anos, atuou como Diretor na EMEF Julite Miranda Freitas, em Nova Almeida.

Professor Artur com alunos. Foto: Divulgação

Artur Costa atuou na educação durante 15 anos, antes de ingressar na vida pública. Ele é professor de Educação Física e também como professor de alunos com necessidades especiais, área em que tem uma especialização acadêmica.

“Na educação, tenho duas bandeiras principais: a de que a valorização do profissional alcance todos os envolvidos no processo, do porteiro da escola ao diretor, e que o esporte seja visto como um aliado na educação de jovens, pois ajuda a desenvolver o aluno em todas as áreas de sua vida.

A minha inserção no política foi via projetos esportivos sociais, ainda acadêmico fundei um projeto de handebol para adolescentes e trabalharei em uma casa de reabilitação utilizando a prática da atividade física como ferramenta para auxiliar pessoas a se livrar do vício das drogas, poder ajudar e ver os resultados é gratificante. Cada vez fui me envolvendo mais em projetos e vi na política mais um forma para ajudar com mais eficiência a população”, contou.

Professor Rurdiney. Foto: Divulgação

O Professor Rurdiney atua há 20 anos como professor de Matemática, nas redes municipal e estadual. Ele também já atuou na rede privada e com ensino superior.

“Acredito na educação como um vetor social para a transformação das pessoas. Um dos fatores que me motivaram a vir para a política e ser candidato a vereador é que, por mais que eu acredite que a educação é um vetor de transformação, a educação ser uma política pública de qualidade, voltada para a necessidade das pessoas, por si só muda muito pouco a vida das pessoas. Então a política também é um grande vetor de transformação social e tem condição de mudar a vida das pessoas para melhor”, disse.

Professor Roberto Carlos. Foto: divulgação

O ex-vereador Professor Roberto Carlos (PT) lembra que na semana que se comemora o dia dos professores, é sempre importante lembrarmos da necessidade da valorização desse profissional.

“O professor não encerra sua jornada quando toca o sinal do fim da aula. Ali começa a construção de estratégias múltiplas para melhor construir uma relação amigável entre o ensino e a aprendizagem. Tenho orgulho dos quase 20 anos lecionando a disciplina que eu amo. O amor pela Geografia é o amor pelo planeta e por seus habitantes.

Eu disputei minha primeira eleição em 2004, e nesse momento o ES vivia um momento de virada, depois de alguns insucessos administrativo e político, que afetou toda sociedade capixaba, eu me senti impelido a apresentar meu nome para ser apreciado pela população, e fui eleito com 2502 votos, e procurei inovar com um mandato participativo”, lembrou.

Dia do Professor:

A data foi estabelecida em 1963, durante o governo de João Goulart, e também faz referência ao dia em que D. Pedro I, imperador do Brasil, no ano de 1827, baixou um decreto imperial, criando o Ensino Elementar no Brasil.

A Serra tem em sua rede municipal 4.066 professores atualmente.

Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!