27.1 C
Serra
quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Cidade só pode receber areia com minério se for para reciclar

Leia também

Pequeno Príncipe traz poesia às telas em espetáculo ao vivo e online neste domingo (16)

Conhecido do público infantil e adulto, o conto ‘O Pequeno Príncipe’, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, sai dos...

Mesmo após denúncias, ônibus e terminais continuam lotados: passageiros temem contaminação

Mesmo após centenas de denúncias e reclamações sobre a superlotação dos terminais e ônibus do Transcol, a situação continua...

EDP abre inscrições para Programa de Estágio com seleção 100% virtual e metade das vagas para estudantes negros

A EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, está com inscrições para o programa de estágio. A Companhia...
Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é o editor de política do Tempo Novo. Além de sua área, o jornalista, escreve para outras editorias do portal.

Areia com minério em Camburi só poderá vir para Serra se for reciclada. Foto: Arquivo TN

Os vereadores derrubaram um veto do prefeito Audifax Barcelos (Rede) ao Projeto de Lei 130/2019, que, na prática, proibia o descarte de rejeitos contendo minério de ferro na Serra. Mas abre a possibilidade de que o material venha para o município, desde que possa receber manejo para reciclagem.

A proposta, agora, terá que ser sancionada pelo Poder Legislativo. Ela visa afastar a possibilidade de a mineradora Vale descartar, em algum aterro, as toneladas de rejeitos que ela descartou por décadas na praia de Camburi, em Vitória, e agora terá que limpar. Por outro lado, prevê que os rejeitos possam vir desde que passem por reciclagem e sejam reaproveitados, seja na indústria ou na construção civil.

Audifax seguiu o parecer da Procuradoria e vetou o PL, argumentando inconstitucionalidade. Entretanto,15 dos 18 vereadores presentes à sessão entenderam que não havia vício de iniciativa e derrubaram o veto do prefeito. O projeto é assinado por diversos vereadores.

Em junho, parlamentares de oposição derrubaram o PL 27/2019, de autoria do prefeito da Serra, Audifax Barcelos (Rede), que estabelecia diretrizes para o Município desenvolver “autonomia político-administrativa” no que tange ao descarte de resíduos contendo minério de ferro. Objetivamente, ele proibia que esse tipo de material fosse jogado na Serra sem que a Prefeitura autorizasse.

A derrubada gerou reações de parte da sociedade civil organizada, entre movimentos ambientais e comunitários. Com isso, os parlamentares convocaram, uma semana depois, uma audiência para tratar do tema, que originou esse atual projeto proibindo o descarte desse composto, mas abre espaço para reciclá-lo.

Contexto

O pano de fundo desse debate é o Termo de Compromisso Ambiental firmando em 2017 entre Vale, Prefeitura de Vitória e outros órgãos (excluindo PMS). O acordo prevê que a mineradora retire areia contaminada com minério de ferro da ponta norte de Camburi. Um dos locais cotados para receber o material seria um aterro licenciado pelo Governo do Estado para a empresa Marca Ambiental e que se localiza ao lado do bairro Pitanga e da Área de Proteção Ambiental do Mestre Álvaro.

 

Comentários

Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é o editor de política do Tempo Novo. Além de sua área, o jornalista, escreve para outras editorias do portal.

Mais notícias

Mesmo após denúncias, ônibus e terminais continuam lotados: passageiros temem contaminação

Mesmo após centenas de denúncias e reclamações sobre a superlotação dos terminais e ônibus do Transcol, a situação continua a mesma: muita aglomeração e...

EDP abre inscrições para Programa de Estágio com seleção 100% virtual e metade das vagas para estudantes negros

A EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, está com inscrições para o programa de estágio. A Companhia oferece oportunidades em diversas áreas...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!