20.7 C
Serra
quarta-feira, 22 setembro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Ciclo folclórico da Serra é reconhecido pelo Estado e vira patrimônio de todos os capixabas

Leia também

Academia inaugura em Colina de Laranjeiras com funcionamento 7 dias na semana e espaço kids

A região de Colina de Laranjeiras ganhou um novo espaço para quem quer entrar em forma e colocar a...

Império de Fátima lança em outubro samba enredo oficial e rainha com samba e muita cerveja

No próximo dia 3 de outubro a escola de samba Império de Fátima vai promover um evento para coroar...

Vendaval destrói poste e deixa bairro da Serra sem energia elétrica

O vendaval da noite desta terça-feira (21) está deixando estragos em alguns bairros da Serra. Em Vila Nova de Colares,...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

O deputado Alexandre Xambinho é o autor do Projeto que virou Lei em todo o território capixaba. Foto: divulgação.

Uma boa notícia para a Cultura da Serra. Isso porque o Ciclo Folclórico do município foi reconhecido oficialmente como patrimônio artístico e cultural imaterial do Estado do Espírito Santo. Na prática, o que antes eram eventos restritivos a cultura local, tornam-se formalmente festas de todos os capixabas; e com isso, facilitará a captação de recursos do Governo, Prefeitura e da iniciativa privada. Esse processo condecorativo é importante culturalmente para o município, já que são festas seculares na Serra.

A Lei foi publicada no Diário do Poder Legislativo desta segunda-feira (2), sob o nº 11.343/2021, que é proveniente de um projeto de Lei de autoria do deputado Alexandre Xambinho, que tem domicílio em Barcelona, na Serra.

Segundo o deputado, o PL atende a uma demanda da Associação de Bandas de Congo da Serra (ABC-Serra), entidade que organiza eventos e desenvolve pesquisa sobre o folclore regional e trabalho nas escolas para incentivar a formação de grupos mirins de congo de modo a preservar a tradição.

“Falar de cultura é falar de tradição e sentimento de pertença, é ser cidadão pleno; um povo que se esquece da onde veio não sabe para onde vai. Por isso, valorizar nossa cultura e nossos costumes, nada mais é do que valorizar a Serra enquanto cidade. Esse reconhecimento valoriza nossas festas e nossas tradições. Cultura é renda, gera emprego e aprofunda o sentimento de amor que a população tem com a cidade. Com essa Lei vamos ajudar a captação de recursos e dar mais estrutura a nossa cultura”, disse Xambinho.

Sobre o Ciclo Folclórico da Serra

O ciclo folclórico é composto por diversos eventos festivos já tradicionais na região: Festa de São Benedito e São Sebastião, em Nova Almeida, no mês de janeiro; Festa de São Sebastião, em Manguinhos, também em janeiro; Festa de Sant’Ana, em Manguinhos, em julho; Festa do Folclore, nas redes estadual e municipal de ensino, no mês agosto; Festa de Nossa Senhora do Rosário, na comunidade de Pitanga, em outubro, além dos festejos de São Benedito na Serra Sede, em dezembro. Além das festas, o município também possui as tradicionais derrubadas de mastro em várias comunidades, como Pitanga, Nova Almeida, Manguinhos, Serra Sede e Jacaraípe.

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!