Após cortes, Ifes da Serra vive pesadelo de contas atrasadas e corre risco de ter energia cortada

0
Após cortes, Ifes da Serra vive pesadelo de contas atrasadas e corre risco de ter energia cortada
Atualmente, o Ifes da Serra atende 1.587 alunos. Foto: Gabriel Almeida

Os cortes na educação feitos pelo Governo Bolsonaro afetou em cheio os institutos e universidades federais. Um deles é o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) de Manguinhos, Serra que está com muitas contas atrasadas, inclusive a de energia elétrica. A afirmação é da administração do campus serrano que ainda está tendo que reduzir o seu quadro de funcionários.

O problema de redução das verbas enviadas para o instituto acontece desde 2016, mas neste ano, após o anúncio do Ministério da Educação de que realizaria um corte de 30% dos recursos da educação, a situação piorou e agora o Ifes não sabe se conseguirá pagar todas as despesas. O TEMPO NOVO conversou com o diretor de administração e planejamento do campus, Emerson Atílio, que afirma que, além da conta de energia, o pagamento de despesas como vigilância e limpeza também está pendente.

“Enquanto não ocorre o desbloqueio, mensalmente é liberado aproximadamente 5% do nosso orçamento anual para o pagamento dos contratos. O pagamento das faturas destes contratos (vigilância, limpeza, energia, etc…) encontram-se atualmente em atraso, mas esperamos colocá-lo em dia assim que a verba for liberada”, afirma o diretor.

> Ifes da Serra está sem fazer e receber ligações

Emerson ainda afirma que a esperança está na promessa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que sinalizou que o Governo pode desbloquear os recursos até setembro. “O corte do orçamento continua. Hoje foi divulgado que existe a expectativa de desbloqueio em setembro”, explica.

No final deste mês, a administração do Ifes da Serra vai saber se terá que reduzir ainda mais o quadro de funcionários. De acordo com Emerson, desde 2016, o campus já enfrenta dificuldades, mas este ano a situação complicou ainda mais. “Saberemos qual será este valor para 2020 e se haverá necessidade de mais cortes no seu quadro de funcionários”, relata.

> Matagal, sujeira e calor: Ufes anuncia medidas de emergência após cortes de Bolsonaro

Reduções em quadro de funcionários complicam

Conforme noticiado pelo TEMPO NOVO em maio, o Ifes já teve que realizar reduções no contrato de vigilância, limpeza e manutenção predial. “A parte da segurança é a mais sensível, pois estamos em um lugar ermo, não tem muita gente aqui. A manutenção predial eram seis pessoas no ano passado e agora temos apenas dois e é bastante serviço. Aí vem um corte de 30%”, explica Emerson.

Ifes da Serra atende mais de 1.500 estudantes

Atualmente o Campus da Serra oferta cursos Técnico Integrado, Técnico, Superior e Mestrado Profissional nas áreas de Informática e Automação Industrial. O instituto também conta com salas de aula climatizadas, biblioteca ampla e laboratórios bem equipados. O Ifes da Serra atende 1.585 estudantes. Já no Espírito Santo, os 22 campi do Ifes atendem 35.664 alunos.

Comentários