21.3 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

Vereadores reagem à licitação de R$ 370 milhões para o lixo

Leia também

Mudanças no primeiro escalão da Prefeitura da Serra

Dois secretários municipais, Luciana Malini e Jolhiomar Massariol, foram remanejados entre secretarias da Mulher e da Coordenadoria de Governo...

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Empresas vão gerencias R$ 150 mil toneladas de lixo por ano. Foto: Arquivo TN

A Prefeitura da Serra realizou licitação para contratar empresas no serviço de limpeza pública e descarte de lixo na cidade. Ao todo, foram cinco lotes no valor total de R$ 370 milhões em  cinco anos. Saíram vencedoras duas empresas, a Corpus e a Marca Ambiental, que vão gerenciar um total de 150 mil toneladas de lixo por ano.

No entanto, o caso ainda deve gerar polêmica, já que durante a sessão da última quarta-feira (27), alguns parlamentares fizeram duras críticas ao Executivo e afirmaram que devem convocar membros da equipe do prefeito para explicar a possível contratação, pois dizem que o Legislativo não foi consultado.

Um dos críticos foi o vereador Ailton Rodrigues (PSC). “Essa Casa não pode ser omissa. Isso é um crime de responsabilidade fiscal. Precisamos convocar o procurador (Dr. Vitor Silvares) para esclarecer como conseguiu fazer a licitação sem passar pela prévia avaliação da Câmara”, afirmou.

Já o vereador governista Fábio Duarte diz que o serviço atualmente prestado pela EngeUrb não atende aos critérios de qualidade e, por isso, o município teria optado pela contratação de uma nova empresa. “A cidade estava pagando caro por um serviço que não tinha a qualidade que a cidade merece”, disse Fábio Duarte (sem partido).

PPP não saiu do papel

Vale lembrar que, no início do ano, a Prefeitura tinha a intenção de implantar uma parceria público-privada (PPP) na gestão do lixo. Um Termo de Referência chegou a ser elaborado. O valor do contrato foi estimado em R$ 2,5 bilhões em 30 anos.

No entanto, a chamada PPP do Lixo ficou no epicentro de uma disputa política entre o poder Executivo e os vereadores de oposição. Na prática, a Prefeitura queria implantar a parceria por meio de decreto; já a Câmara, por meio de um projeto de lei aprovado em abril, obrigou o Executivo a tramitar a PPP no Legislativo, o que fez a Prefeitura desistir da proposta.

Comentários

Mais notícias

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente do coronavírus. Isso porque já...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!