17.7 C
Serra
terça-feira, 02 de junho de 2020

Vandinho quer “faxina ética” no PSDB e critica “submissão” da Assembleia a Casagrande

Leia também

Casagrande anuncia novos leitos e não descarta medidas mais duras de distanciamento social

Na noite desta segunda-feira (1) o governador do Estado, Renato Casagrande (PSB), anunciou que nas últimas horas o Governo abriu...

Obra emergencial para mar não derrubar poste gera polêmica em Manguinhos

Na última semana a Prefeitura da Serra teve que fazer uma contenção emergencial para que um poste não fosse...

Segue tensão com técnicos e auxiliares de enfermagem no Jayme Santos

Não bastasse a carga de ter o maior número de doentes por covid-19 no ES pois é a referência...
Yuri Scardinihttps://www.portaltemponovo.com.br
Morador da Serra, Yuri Scardini é o editor de política do Tempo Novo. Além de sua área, o jornalista, escreve para outras editorias do portal.

Vandinho diz que “submissão” da Assembleia é negativa para o ES. (Foto: Lissa de Paula)

Eleito presidente estadual do PSDB, o deputado Vandinho Leite colou no governador de São Paulo, João Dória, e pretende refundar o partido por meio de um “duro código de ética” para cercar filiados envolvidos em casos de corrupção. Nesta entrevista, ele defende a expulsão de ex-caciques como Aécio Neves e Beto Richa. No Espírito Santo, um de seus primeiros atos foi afastar e pedir a expulsão da prefeita de Presidente Kennedy, Amanda Quinta, presa em flagrante na Operação Rubi. Na Assembleia, Vandinho se diz “independente” e critica “submissão” de parlamentares ao Governo. Além disso, o deputado quer se articular para lançar 40 candidatos a prefeito em 2020, e a Serra, claro, está na mira.

O PSDB diminuiu de tamanho na eleição de 2018 e agora tenta se renovar pelas mãos do governador de São Paulo, João Dória. O que esperar do partido?

O grupo liderado por Dória tem colocado pontos que eu sou totalmente favorável e tenho, inclusive, replicado isso aqui no estado. Precisamos ser mais duros em casos de corrupção que acabaram denegrindo a imagem do partido em um passado recente. Assim como Dória eu defendo uma faxina ética com a formulação de um código sério sobre o tema.

O que fazer com ex-caciques como Aécio Neves e Beto Richa, que, mesmo envolvidos em caso de corrupção, seguem nas fileiras do partido?

O PSDB tem que expulsar estes dois que você citou; não só eles, como qualquer um que usa o partido para cometer ilegalidades e enriquecimento ilícito. A política devia ser um caminho de esperança para a população, mas por conta de malfeitores, se transformou em uma coisa que a população enoja. E é isso que precisa ser mudado. Chegamos a um ponto que é chave: ou a política muda e se ajusta ou a nossa democracia estará em xeque.

Neste mês estourou o caso da prefeita de Presidente Kennedy, que é do PSDB e foi presa na Operação Rubi acusada de corrupção…

No momento em que tive conhecimento do caso, convoquei a Executiva, a afastamos do partido e abrimos processo de expulsão. Todos têm direito a defesa, é claro; mas esse é um caso gravíssimo. Ela foi presa em flagrante; portanto, era o que tinha que ser feito. 

Como o PSDB nacional e, em especial, o diretório capixaba se posicionam em relação ao governo Bolsonaro?

Vamos apoiar os pontos importantes para a nação voltar a crescer. O PT quebrou o país e agora é preciso reconstruí-lo. Eu acredito no liberalismo do ministro Paulo Guedes, para o poder público ficar focado em temas como Saúde, Segurança e Educação e, também, nas iniciativas do ministro Sérgio Moro de combate à corrupção. Então, o que for bom para o país vamos defender. 

O partido foi eleito dentro do palanque do governador Casagrande, mas você tem sido um crítico ao governo. Como vai ser essa relação?

Esse negócio de ‘oposição x base’ é coisa antiga. A população quer resultado e o PSDB não quer saber de briguinha. O que for bom para o estado, vamos apoiar; e o que não for, vamos criticar sendo propositivos, é claro. Essa é a função do Legislativo. Quando você trabalha assim, ajuda o governo a crescer, porque a gente consegue apontar os erros; o governo tem que se mexer para tentar ajustar. As legislaturas da Assembleia geralmente são muito submissas ao governo e em minha opinião isso é muito ruim para o estado. Além do mais, o governo não teve habilidade na montagem da equipe, nem tecnicamente e nem politicamente.

Quais são os planos para os tucanos capixabas em 2020, especialmente na Serra?

Hoje temos 15 prefeitos e 15 vice-prefeitos. Em 2020, temos condição de lançar 40 candidaturas a prefeito. A gente discute muito dentro do partido que as cidades precisam de um modelo de gestão com foco nos resultados. Na Serra, é natural uma discussão em torno de uma candidatura própria do partido. É claro que está ainda tudo muito cedo, mas há sim uma grande possibilidade disso ocorrer.

Comentários

Mais notícias

Obra emergencial para mar não derrubar poste gera polêmica em Manguinhos

Na última semana a Prefeitura da Serra teve que fazer uma contenção emergencial para que um poste não fosse derrubado pelo mar, que está...

Segue tensão com técnicos e auxiliares de enfermagem no Jayme Santos

Não bastasse a carga de ter o maior número de doentes por covid-19 no ES pois é a referência hospitalar para enfrentar a pandemia,...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!