25.8 C
Serra
sexta-feira, 03 de abril de 2020

Vale ganha prazo para explicar pó vermelho no ar entre Vitória e Serra

Leia também

Serra tem 23 casos confirmados de coronavírus, diz Secretaria da Saúde

A Serra registrou mais um caso confirmado do novo coronavírus. De acordo com a última atualização publicada pela Secretaria...

Casagrande anuncia que comércio vai ficar fechado até 12 de abril

Os comércios classificados como não essenciais vão continuar de portas fechadas até o próximo dia 12 de abril. Durante...

Materiais de construção, serviços automotivos e lojas de chocolate poderão funcionar

A partir desta segunda-feira (6), estarão liberados para funcionar as lojas de material de construção e serviços automotivos no...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Poluição vermelha vista da praia de Camburi em Vitória na tarde da última segunda (13). Foto: Divulgação

O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) deu prazo até sexta-feira (17) para a Vale explicar o pó vermelho que lançou no ar na última segunda feira (13) a partir do Complexo de Tubarão, localizado entre Vitória e Serra.

A poluição foi avistada de diferentes pontos da Grande Vitória na tarde da última segunda e chamou atenção por ser mais intensa do que o pó preto visível que é lançado pelas atividades siderúrgicas em Tubarão. Em nota, o Iema disse que a Vale tem 96 horas para protocolar um relatório, explicando as causas do problema e as ações para corrigi-lo, incluindo medidas para impedir que volte a acontecer. No mesmo relatório, a empresa tem que detalhar quais foram as conseqüências da fumaça vermelha.

Ainda de acordo com o órgão estadual, a Vale teria feito comunicado do ocorrido às 14h e 26 do último dia 13 de janeiro e informado que a emissão durou pouco mais de dois minutos. Por fim, o Iema disse que só após a apresentação do relatório deverá decidir se pune a empresa.

Também por nota, a Vale reconheceu o problema. Disse que as causas estão sendo apuradas. Informou que a fumaça foi resultado da emissão de particulados (pó) numa das usinas da Unidade de Tubarão. A mineradora afirmou também que  tomou imediatamente todas as medidas para interromper a emissão e comunicou aos órgãos competentes. A empresa ressalta que monitora continuamente suas operações, de forma a inibir a emissão de particulados.

 

 

Comentários

Mais notícias

Casagrande anuncia que comércio vai ficar fechado até 12 de abril

Os comércios classificados como não essenciais vão continuar de portas fechadas até o próximo dia 12 de abril. Durante uma coletiva de imprensa realizada...

Materiais de construção, serviços automotivos e lojas de chocolate poderão funcionar

A partir desta segunda-feira (6), estarão liberados para funcionar as lojas de material de construção e serviços automotivos no horário das 10 às 16...

ES registra segunda morte por coronavírus, diz Casagrande

O Espírito Santo registrou a segunda morte causada pelo novo coronavírus. A informação foi dada pelo governador Renato Casagrande (PSB) durante uma coletiva de...

Covid-19 | Espírito Santo vai receber mais de 9 mil testes rápidos

O Ministério da Saúde iniciou, na quarta-feira (1º), a distribuição dos 500 mil testes rápidos para diagnóstico de coronavírus (Covid-19) no país. Os testes...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem