28.6 C
Serra
segunda-feira, 25 de Maio de 2020

CORONAVÍRUS NA SERRA

cidade registra 1.777 infectados, 107 mortos e 554 curados

Ufes desenvolve escudo facial para pessoal da saúde combater coronavírus

Publicado em:
Atualizado em:

Leia também

Academias de ginástica do Estado voltam a funcionar nesta segunda-feira (25)

O Governo do Estado liberou as academias de ginástica para voltar a funcionar a partir desta segunda-feira (25), em...

Idosos de asilos da Serra testam positivo para Covid-19

Três residentes de Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) da Serra testaram positivo para o novo coronavírus. O município...

Mais 12 moradores da Serra morrem por coronavírus e cidade já registra 107 óbitos

Em apenas 24 horas, a Serra registrou 12 novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Imagem ilustrativa do escudo facial. Foto: Divulgação/Ufes

Fruto de pesquisa desenvolvida no Centro Tecnológico e do Centro de Ciências Exatas da Ufes, o Espírito Santo deve ganhar em breve reforço na luta contra a pandemia de covid-19. Trata-se de projeto para a produção de escudos faciais de proteção a serem utilizados por profissionais de saúde. Segundo a assessoria de imprensa da Ufes, a intenção é produzir o equipamento em escala em parceria com indústrias capixabas.

Por enquanto, cem peças foram feitas nos laboratórios da Ufes, mas a proposta é chegar a 150 mil escudos, atendendo uma solicitação da Secretaria Estadual de Saúde. Em declaração divulgada no site da Universidade, o professor do Departamento de Engenharia Elétrica Marcelo Segatto disse que, em dez dias, com a chegada dos insumos, a previsão é produzir cerca de quatro mil escudos por dia.

Segundo ele, o projeto já conta com parcerias da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), das empresas ArcelorMittal e Geocontrol e do grupo de desenvolvedores capixaba ProtetorES.

A assessoria de imprensa da Ufes acrescenta que o projeto envolve oito professores dos cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Matemática. Os docentes estão participando de todas as etapas, desde a concepção do projeto de fabricação, até o corte da peça, passando pela captação de recursos de empresas privadas.

“Formamos uma rede colaborativa para atender essa demanda do Governo do Estado. Estamos usando placas de acetado, que são cortadas numa máquina a laser, elástico e injeção de plástico para fazer o suporte”, explica Segatto. Segundo o professor, “se houver excedente na produção, será possível repassar para outros estados do país”.

Os escudos não substituem as máscaras, mas são a primeira camada de proteção para os profissionais de saúde, evitando que tenham contato com saliva e fluidos corporais de pessoas infectadas. A peça é uma barreira física transparente entre o paciente e o médico ou enfermeiro, podendo ser higienizada e reutilizada.

Comentários

Mais notícias

Idosos de asilos da Serra testam positivo para Covid-19

Três residentes de Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) da Serra testaram positivo para o novo coronavírus. O município conta com 23 instituições de longa...

Mais 12 moradores da Serra morrem por coronavírus e cidade já registra 107 óbitos

Em apenas 24 horas, a Serra registrou 12 novas mortes causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)....

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem